ESTRUTURA FÍSICA DO BARRACÃO DO NGOLA

 

O barracão da nação  Angola recebe dentro do culto o nome de INZO (NZO), termo oriundo da língua Kimbundu, no dialeto Umbundu, que quer dizer CASA DE SANTO ou TERREIRO.

Divide-se em várias partes rituais e outras litúrgicas, com nomes próprios do culto, como veremos.

 

SAMBILÈ - é o espaço físico aberto onde se realizam as atividades ritualísticas de acesso ao público em geral.

(O local certo pra se dar obrigação é no meio do sambilè, sob a cumeeira, porque pega as energias da cumeeira e do chão)

 

ANGOMI DUILO - é chamado em outras nações de cumeeira, é a parte mais sagrada do barracão, em razão de ali estar concentrada a energia geradora de toda a foça da casa, força essa chamada no Angola de KALLA ou MUKI. Divide-se em duas partes: o infinito, a parte superior, acima das cabeças, e o IXI ou OXI, o chão da casa, o LAMBURU, onde estão as energias dos ancestrais, chamados no Angola de BAKULU ou AKUA UKULU. (Baba Egun - energias que comem a carne e devolvem os ossos).

 

LAMBURU - O chão do Angola - juntamente com a cumeeira, criam a energia da força da casa, e no chão do Angola comem três NUMBIS: TATA ZUMBI, DIAZUMBI e GUNZUMBI ou GAMZUMBI, que são representados no assentamento.

 

INZO PAMBUNJILA - é a casa dedicada ao Pambunjila do zelador, onde podem também ser colocados os exus dos filhos. OBS.: Quando a roça é inaugurada planta-se primeiro o exu ancestal ou existencial,(Yombe) (Bara - casa à parte).  Em uma roça só pode existir um exu ancestral, que é o do dono da casa, pois este tipo de exu só pode ser assentado na própria casa.

No Inzo Pambunjila se plantam os exus de trabalho.  Este INZO é plantado à esquerda do portão de entrada do terreiro (pega a pessoa que entra pelo lado passivo)

 

LEMBACI - É o quarto destinado aos santos principais do dono da casa. (Também do primeiro ogã e da primeira Ekedi, aos pés do santo do zelador).

 

KASSIMBA - é o poço, que deve ficar na frente do barracão, sendo oferecidas obrigações ao Nkisi Zumbá.

A menha (água do poço) é destinada à maionga dos iniciados, principalmente dos NDUMBI (iniciado). Serve também para encher as BUZANGUÊ (quartinhas).

 

INDEMBURO - (runkó) é o compartimento sagrado da casa onde são realizadas as obrigações de mutuê (cabeça). Na casa de Angola este quarto recebe tratamento diferente de todas as outras nações.

 

Suas paredes internas e externas são tratadas com cal (não se usa óleo nem azulejos). As paredes internas recebem uma massa feita com a infusão de 21 qualidades de nsabas e excrementos de boi (*) sendo esta massa chapiscada ao redor de toda a parede, na altura do umbigo (para baixo) do dono da casa.

(*) Elemento da cultura Jeje - Karu - mistura de mel, estrume de boi, ervas - diz que o estrume de boi é a verdadeira erva curtida).

No interior desse recinto deve-se plantar assentamentos de Lemba e Kaiala, pai e mãe das cabeças.  Em época de obrigações o chão deve ser todo recoberto de nsabas e principalmente as folhas da pessoa que está recebendo a obrigação.

 

INZO JAWÁ - é um quarto que não deverá ter telhas, destinado ao banho de ervas curtidas. (Cada um tem seu porrão de abô, com todo o respeito bate paô para acordar).

 

PAGODÔ ou KATUJI - banheiro (não se entra com fios de contas).

 

INZO KITEMBÚ - (ou Kidembu) - local reservado à frente do barracão, onde é erguido o BENGUÉ (assentamento) do Nkisi conhecido vulgarmente por TEMPO - o rei do culto Bantú.

O nome Kitembu traduzido para o português quer dizer vento. Esse Nkisi é consagrado aos pés do jenipapo ou cajazeiro.

 

INZO YOMBETÁ - é a casa dedicada a receber os bengué dos NUMBIS. Recebe tratamento específico das mãos do Tata Numbi. Deve ser tratada por homens, de preferência filhos de Kavungu ou Kaiangu. (São pessoas especialmente preparadas para isso. Quando a casa não possui filhos desses nkisi, pode usar de Nkosi ou Ngunzu, que devem ser sempre cuidados com obrigações de limpeza, uso de umbigueira, etc.).

 

INZO KALUNGOME ou KALUNGOMBE - é a casa destinada os santos do zelador morto. Em outras nações chama-se Ilë Igbo Ikú (Nesse quarto se colocam também Oxalá e Xangô de filhos mortos, que não se despacham).

 

JUREMA ou ALDEIA - é o local consagrado aos bengué dos caboclos, principalmente BOIADEIROS (não são todas as raízes do Angola que cultuam caboclos).

Os caboclos dividem-se em 3 grupos:

v  caboclos de couro (boiadeiros)

v  caboclos de penas (ligados à pajelança indígena)

v  caboclos juremeiros - ligados à parte medicinal do culto, através de beberragens com ervas e raízes, curativas dos males físicos.

 

INZO MUZAMBÚ ou APEJÓ (Congo) - é o quarto destinado ao jogo de búzios, à vidência e ao jogo de NGOMBO. O termo quer dizer "Casa do Adivinho".

 

INZO KASSUBENKA ou GONZEMO - é o quarto dedicado a receber os assentamentos dos santos dos filhos da casa. Em outras nações PEJI.

 

PEPELE - local reservado ao conjunto de 3 atabaques privativo dos KIXIKARANGOMBE (ogãs tocadores de couro de boi), principalmente os TATA NGOMA (alabês). O conjunto dos 3 atabaques têm no Angola o nome de NGOMA, mas existem ramificações do Angola que denominam o atabaque maior de NGOMA, o do meio de AJÉONGOMA e o menor de GONGUÉ ou GOMA. O primeiro é consagrado ao santo do dono da casa, o segundo ao seu juntó e o terceiro a Lembá.