Dicas
importantes

Com uma dose de intuição, esperteza e habilidade, você também pode brincar de prever o futuro. Pra isso, você precisará das cartas - que são vendidas em livrarias ou lojas especializadas.

• O baralho de tarô contém 78 lâminas
• Você já deve conhecer 56 delas. São chamados arcanos (mistérios) menores, semelhantes às cartas de baralho comum, ou seja, divididos em 4 naipes ( ouro, paus, espadas e copas).
• As outras 22, os arcanos maiores, trazem estampas cheias de simbolismos.
• A diferença entre os dois grupos está no tipo de perguntas que eles respondem: os arcanos maiores tratam de questões humanas (personalidade e relacionamento), enquanto os arcanos menores "falam" do cotidiano, das coisas práticas.

 

 


Por onde começar

O tarô possui várias leituras. O ideal seria que cada um desenvolvesse a sua propria forma de deitar as lâminas. Com o tempo, experiência e sensibilidade, isso tende a acontecer.
• O primeiro passo é estudar as cartas, observar os desenhos, símbolos e textos.
• Os detalhes das estampas são metafóricos e representativos.
• Pontos, círculos e triângulos referem-se ao espírito (alma)
• A cruz e o quadrado representam o sofrimento físico (dor)
• A Ornada de fitas (forma de chapéu do Mago e da Força) corresponde aos fatos que ocorrem na vida do indivíduo sem interferência da vontade (destino).

A predominância das cores também ajuda na interpretação da lâmina.

• O vermelho significa a agressividade e a atividade.
• O amarelo, atividade intelectual
• O verde geralmente expresso na vegetação, leva a pensar em renovação.
• O branco mostra pureza , alma infinita, crescimento interior.
• Uma das cartas que melhor caracterizam o equilíbrio entre as cores azul e vermelho é a VIII , da Justiça.


Como Jogar

• Após embaralhar as cartas, abra-as em forma de leque e retire três delas.
• Disponha as lâminas seguindo a ilustração abaixo


• Vire a primeira carta (a da esquerda) e terá simbolizados os elementos favoráveis à realização do seu objetivo.
• O segundo arcano (disposto à direita) vai lhe indicar o que a impede de atingir seu desejo.
• Revelando a terceira carta (do centro), você terá o conselho que o tarô oferece para a resolução do problema.


Método de Leitura

Este é um método simplificado de leitura em que são utilizados apenas os 22 arcanos maiores.

1. Você pode ler o tarô para outra pessoa mas deve deixá-la embaralhar, separar e " deitar" as cartas.
2. Embaralhe os arcanos pensando firmemente na sua pergunta.
3. Abra-os em forma de leque.
4. Com a mão esquerda, retire três deles
5. Disponha como mostrado na ilustração acima
6. Vamos tomar como exemplo a pergunta: "Vou viajar neste fim de semana?"
7. Primeira carta: O que está favorecendo a viagem. Saiu a carta " A Roda da Fortuna", indicando que haverá uma virada, uma coisa muito boa.
8. Segunda carta: a dificuldade, o que vai atrapalhar. Abriu-se a carta "A casa de Deus", a torre afirmando que haverá problemas. Talvez a viagem se faça por algum outro motivo que não o planejado.
9. Terceira carta: a sugestão do tarô. A carta aberta é a da Grã-Sacerdotisa, simbolizando o bom senso e o trabalho. A orientação do oráculo é que a viagem se concretizará mas não será para descanso e sim por motivos profissionais. Segundo o professor e tarólogo Valderson de Souza, este é o modo mais simples e facil de se consultar o tarô.

 


O significado dos arcanos

I - O Mago - Criatividade, início, esforço incansável, dedicação aos ideais e busca do conhecimento.
Representa a habilidade. Ele tem várias coisas sobre a mesa e parece saber manuseá-las muito bem. O Mago sabe aproveitar as oportunidades da vida. Tem os pés no chão mas o seu chapéu lembra o simbolo do infinito(um oito ao contrario). Isso quer dizer que ele não perde a noção da realidade, ao mesmo tempo em que sabe ter como meta o infinito. Recomenda que usemos as armas que estão ao nosso alcance.

II - A Grã-Sacerdotisa - Poder, sabedoria, bom senso, discernimento, moralismo e segurança.
É a grande mãe, dona do conhecimento. Repare que seu chapéu ultrapassa os limites da carta, o que significa mente poderosa. A sua figura serena recomenda calma e o melhor aproveitamento possível das nossas experiências. Tem a seriedade de quem trata de assuntos importantes com harmonia, sabendo conciliar os opostos.

III - A Imperatriz - Progresso feminino, talento natural, fertilidade, intuição, poder de decisão e ação.
Representa os valores materiais da mulher, sua fecundidade e beleza. Dona de muito poder, ela tem o cetro na mão esquerda , que por sinal está aberta. Isso significa um poder receptativo e não autoritário.

IV - O Imperador - Poder, honestidade, organização, segurança, realização e apoio.
É o grande homem. Tem força e poder. Com o cetro na mão direita fechada, ele olha com firmeza, representando a força por meio do sucesso material. Sua coroa é vermelha e amarela, mostrando força e inteligência.

V - O Sumo Sacerdote - Autoridade, equilíbrio, inteligência, justiça, poder espiritual e dever moral.
É o grande pai da espiritualidade. Repare que ele parece estar orientando as duas figuras que estão na parte inferior da carta. Sua coroa, além do vermelho e do amarelo, também tem o verde.

VI - O Namorado - Momento de escolha, liberdade, amor, união, beleza e perfeição, confiança, cautela e otimismo.
Aparece dividido entre duas mulheres. Não se sabe se elas são sua mãe e namorada ou uma mulher mais jovem e outra mais velha. O seu corpo está voltado para a direita, mas sua cabeça para a esquerda. Ele representa um momento de indecisão entre o novo e o velho ou entre o arriscado e o seguro. Recomenda reflexão.

VII - O Carro - Equilíbrio, segurança, domínio, sucesso, triunfo, aproximação amorosa e realização.
É o símbolo do sucesso. Aparece como o senhor que controla os cavalos e sabe dar a direção que quiser à sua vida. O Carro mostra que é necessário tomar as rédeas e controlar as forças psíquicas para conduzir a vida ao caminho que nós escolhemos.

VIII - A Justiça - Austeridade, imparcialidade, integridade, disciplina, decisão e prontidão.
Significa o equilíbrio tanto na vida prática quanto na espiritual. Ela alerta para o senso de justiça que todos devemos ter. O broto verde que aparece no canto esquerdo simboliza a esperança de que a justiça seja feita.

IX - O Ermitão - Informação, sabedoria, paciência, discrição, conhecimento, estudo e prudência.
É a essência da sabedoria. Aquela que só se alcança com a experiência de vida. Seu manto azul mostra que ele está recoberto de fé no seu conhecimento. A lamparina que traz na mão significa a luz da verdade. O Heremita é bom e nos remete a busca do que há de mais sincero dentro de nós.

X - A Roda da Fortuna - Destino, mudança, ascensão, iniciativa e êxito.
Quer dizer que o mundo gira e as coisas mudam. O que hoje parece ser uma coisa, amanhã pode ser outra. Representa mudanças ou, muitas vezes, aponta para o sucesso inesperado.

XI - A Força - Inteligência, sucesso, magnetismo sexual, poder invencível, maturidade, domínio do "eu" e harmonia.
A mulher com expressão tranquila consegue controlar o animal. Ela mostra que precisamos dominar o lado instintivo, os impulsos, para que atuemos com mais suavidade e beleza interior diante dos problemas.

XII - O Enforcado - Idealismo exagerado, abnegação, perfeição moral, exitação, falta de vontade, traição e abandono.
Repare que ele não está pendurado pela mão e sim pelo pé, e não parece estar sufocado. Pelo contrário, tem uma expressão serena com as mãos nos bolsos, como se estivesse observando. Isso quer dizer que, às vezes, temos que olhar as coisas por um outro ângulo para que posamos compreendê-las. É necessário dar uma parada para ver se não estamos esquecendo de levar algo em consideração.

XIII - A Morte - Transformação, renascimento, libertação dolorosa, mudança de país, cidade ou casa, lucidez mental, insegurança financeira.
Como o nome não está no pé da carta e sim em cima, esse arcano não representa a morte, mas a superação e a transformação para algo novo. Como é predominantemente bege, aponta para mudanças no campo material. E, como as folhas caídas no chão do desenho, nós também temos que derrubar algo de nossas vidas para dar espaço ao novo, assim fazem as árvores no outono.

XIV - A Temperança - Equilíbrio, autocontrole, serenidade, harmonia, paciência e estabilidade.
É a virtude universal, que derrama a água do seu jarro azul ( o espírito) para o jarro vermelho( a força) . Mostra a importância do equilíbrio interior, da moderação.

XV - O Diabo - Força misteriosa, egoísmo, sedução sem escrúpulos, sucesso por meios ilícitos e punição.
Rege as grandes forças institivas, a sexualidade, o vigor físico e o poder de atração. Ele também é o senhor do medo. Para se viver bem é preciso superar esse medo, conseguindo, então, dominar nossos instintos.

XVI - A Casa de Deus - Destruição, dificuldade, presunção, orgulho, fracasso, vaidade, timidez e malogro.
Nesta carta, um raio aparece destruindo uma torre e fazendo com que as pessoas caiam. E é isso que ele representa: a destruição de de algo estabelecido. Mas, se você olhar com atenção, vai notar que a queda não é mortal. E ela é a busca de algo novo. Após a destruição, o novo aparece.

XVII - A Estrela - Esperança, inspiração criadora, otimismo, autocontrole, energia, satisfação.
Aponta para a realização dos ideais. São sete estrelas e uma grande no centro, representando a concretização de algo que se deseja muito. Os jarros de água sendo derramada significam que uma nova vida começa quando conseguimos realizar nossos ideais.

XVIII - A Lua - Obscuridade, advertência, forças ocultas, desilusão, entorpecimento e superficialidade.
É o nosso inconsciente, sempre apontando para as sensações mais profundas que, muitas vezes, não conseguimos explicar e preferimos não ver. É preciso olhar para dentro e descobrir o que nos faz sentir de determinada maneira ou o que nos mantém presos a uma certa situação.

XIX - O Sol - Realização, felicidade, entusiasmo, sinceridade, prazer.
É a claridade que nos permite ver as coisas e perceber bem a realidade que estamos vivendo. Ele traz segurança. Mas preste atenção nas crianças; elas mostram que quando estamos transparentes, sem mistério, ficamos com a pureza infantil.

XX - O Julgamento - Renascimento, libertação, iluminação do caminho, sentimento de justiça, gênio inventivo, revelação de desígnios ocultos e saúde física.
Remete ao apocalipse, onde os puros de alma se levantam ao som das trombetas. Repare que os corpos são beges, mas seus cabelos são azuis, ou seja, suas mentes estão plenas de fé e emoção. O Julgamento diz que temos que ir em busca do que há de mais puro em nós mesmos. Encontrando o que restou de bom, podemos superar nossos problemas.

XXI - O Mundo - Sorte, recompensa, realização, finalização de obras, integridade e totalidade, encontro de amor, lucidez, liberdade e felicidade.
É a realização plena e total. A carta mostra uma figura envolta numa guirlanda que começa azul, passa pelo vermelho e chega ao amarelo. Isso quer dizer que, usando nossas emoções e nossa força física, conseguimos alcançar a inteligência e a sabedoria. As quatro figuras que aparecem nos cantos representam os quatro elementos da natureza que conferem equilíbrio ao mundo. Representa a síntese de tudo que conhecemos.

O Louco - Isolamento, precipitação, loucura, confusão.
É o único que não tem número. Por isso, mesmo significa liberdade. Ele olha para o infinito e, com isso, mostra que a vida é muito mais do que vemos e a felicidade pode estaralém das aparências da vida cotidiana. Tem apenas uma trouxinha com o essencial e, no entanto, tem uma expressão tranquila. Isso quer dizer que muitas vezes nos preocupamos com coisas superficiais e não percebemos o que é realmente importante.

voltar