sociedade das ciências antigas

 

 

Astrologia

 

 

 

 

nível básico

 

ÍNDICE DAS MATÉRIAS

 

 

N.º DE ORDEM       HISTÓRICO                                                                        PÁGINA

 

                                   INTRODUÇÃO AO ESTUDO BÁSICO                                         3

                                   UMA PEQUENA ADVERTÊNCIA                                                 3

            1.                     SÍMBOLOS ASTROLÓGICOS                                                       4

            1.1                   Símbolos dos Signos                                                                          4

            1.2                   Símbolos dos Planetas                                                                        4

            1.3                   Símbolos Lunares                                                                               5

            2.                     PEQUENA INTERPRETAÇÃO DOS SÍMBOLOS                         5

            2.1                   Interpretação dos Símbolos dos Signos                                               5

            2.2                   Composição dos Símbolos Planetários                                    6

            2.2.1                Círculo                                                                                               6

            2.2.2                Semicírculo                                                                                        6

            2..2.3               Cruz                                                                                                   7

            2.3                   Interpretação dos Símbolos dos Planetas                                            7

            2.4                   O Simbolismo Teogônico                                                                   8

            3.                     CASAS ASTROLÓGICAS                                                              9

            3.1                   Significado das Casas                                                                         11

            3.2                   Divisões das Casas                                                                             11

            3.2.1                Casas Cardinais ou Angulares                                                             11

            3.2.2                Eixos Angulares                                                                                  13

            3.2.3                Casas Fixas ou Sucedentes                                                                 14

            3.2.4                Eixos Fixos                                                                                        16

            3.2.5                Casas Comuns, Cadentes ou Mutáveis                                               17

            3.2.6                Eixos Comuns                                                                                    18

            4.                     SIGNOS                                                                                           20

            4.1                   Divisões dos Signos                                                                            20

            4.1.1                Divisão conforme os Elementos                                                          21

            4.1.2                Divisão conforme as Qualidades                                                         25

            4.1.3                Divisão conforme as Polaridades                                                        26

            4.1.4                Outras classificações                                                                          27

            4.2                   Anatomia e Signos                                                                              28

            5.                     PLANETAS                                                                                      29

            5.1                   Características e influências                                                                 31

            5.1.1                Sol                                                                                                     31

            5.1.2                Lua                                                                                                    31

            5.1.3                Mercúrio                                                                                            32

            5.1.4                Vênus                                                                                                33

            5.1.5                Marte                                                                                                 33

            5.1.6                Júpiter                                                                                                34

            5.1.7                Saturno                                                                                              35

            5.1.8                Urano                                                                                                36

            5.1.9                Netuno                                                                                               37

            5.1.10              Plutão                                                                                                37

6.                    SÍNTESE GERAL                                                                             39

7.                    RESUMO DE TERMOS ASTROLÓGICOS                                    39


 

INTRODUÇÃO AO ESTUDO BÁSICO

 

 

À presente apostila, não se poderia dar o título genérico de “Curso de Astrologia”.

 

Uma vez que o estudante interessado encontra no mercado muitas obras ou cursos facilmente adquiríveis, não caberia rescrever aqui, convencionalmente, tudo aquilo que já foi, anteriormente escrito.

 

Ao elaborar esta apostila, o que se pretendeu, na realidade, foi tão somente compilar sob uma visão esotérica, materiais que deixados à mão venham ajudar o estudo em conjunto e facilitar, no futuro, trabalhos de pesquisa e aplicações práticas em nossa jornada iniciática.

 

“O homem sábio dominará, daqui da Terra, as influências dos planetas, os quais não reproduzem, necessariamente, suas virtudes nos corpos terrestres, mas apenas suas tendências, e por isso convém ter grande Prudência e Discernimento.”

 

 

Ptolomeu

 

 

 

PEQUENA ADVERTÊNCIA

 

 

            Considerando que em qualquer campo de pesquisas, e, mais especialmente, no “Estudo do Ocultismo” todo estudante corre o risco de se perder nas intermináveis manifestações como apenas reflexos ou diferentes aspectos da Realidade Primordial e Unificadora; sugerimos que: cada estudante controle sua imaginação, como forma de armazenar energia e não se perca nas intermináveis comparações que a mente tende a fazer com o vasto e difícil mundo da simbología Astrológica.

 

            “A prudência é necessária ao caminhar, tanto quanto o silêncio é primordial para se ouvir perfeitamente.”

 

 

 

Sociedade das ciências antigas


 

1. SÍMBOLOS ASTROLÓGICOS

 

            Ao trilhar o caminho do ocultismo, especial atenção exige-se para o estudo dos símbolos; pois estes, como forma de expressão, além de conterem as mais belas e profundas verdades, retém também, num estado latente, toda força e energia do princípio que lhe deu origem.

 

            É na Astrologia que a “Ciência dos Símbolos” tem talvez sua maior expressão, pois, a riqueza com que se apresenta em todo o estudo esotérico da Astrologia é tão vasta que dificilmente pode-se contemplá-la em um só período de existência.

 

            Ao iniciarmos nossos estudos de Astrologia devemos memorizar o alfabeto astrológico, que se constitui de 22 (vinte e dois) Símbolos e 3 (três) Selos Lunares, pois somente assim poderemos desenvolver uma compreensão mais ampla das lições futuras. Esta simbología inicial, está assim dividida:

 

            12 (doze) Símbolos que identificam os Signos.

            10 (dez) Símbolos que identificam os Planetas.

            03 (três) Selos que indicam os pontos em que o Sol, a Lua e a Terra parecem ocupar o mesmo Plano Celeste.

 

1.1 SÍMBOLOS DOS SIGNOS

 

            Sendo os signos a representação das doze constelações que constituem o Zodíaco e análogas às doze casas do Tema Astrológico; estão assim constituídos:

 

^ - ÁRIES               ou        CARNEIRO

_ - TAURO              ou        TOURO

` - GÊMINI             ou        GÊMEOS

a - CÂNCER           ou        CARANGUEIJO

b - LÉO                    ou        LEÃO

c - VIRGO               ou        VIRGEM

d - LIBRA                ou        BALANÇA

e - SCORPIO          ou        ESCORPIÃO

f - SAGITÁRIO

g - CAPRICÓRNIO

h - AQUÁRIO

i - PISCES               ou        PEIXES

 

 

1.2 SÍMBOLOS DOS PLANETAS

 

            Na Astrologia os Planetas correspondem aos corpos celestes que se movimentam no céu, e são, na maioria das vezes, centros inteligentes de emissão da Força Astral. Compreendem o Sol, a Lua e os Planetas do Sistema Solar, assim representados:

 

¢          -          SOL                            ¦          -          JÚPITER

¡         -          LUA                            §         -          SATURNO

£         -          MERCÚRIO               ¨         -          URANO

¤           -          VÊNUS                      ©         -          NETUNO

¥         -          MARTE                      ª         -          PLUTÃO

                        1.3 SÍMBOLOS LUNARES

 

            Designam os dois Nodos Lunares e o Ascendente Lunar, e são assim representados:

 

« - CABEÇA DO DRAGÃO ou Nó Lunar Capital ou Nó Boreal.

Á - CAUDA DO DRAGÃO ou Nó Lunar Caudal ou Nó Austral.

 

Estes nodos, de grande importância num tema Astrológico, devem ser entendidos como os dois pontos que a Lua produz ao cruzar a Eclíptica do passo do Sol.

 

¿ - RODA DA FORTUNA, Roda da Vida ou, ainda, Ascendente Lunar.

 

Este símbolo denota, na Carta Natal de um indivíduo, a parte da Fortuna.

 

Revelador de profundos aspectos astrais, relacionados com a própria concepção do indivíduo, é calculado por meio das longitudes do Sol, da Lua e do Ascendente.

 

2.     PEQUENA INTERPRETAÇÃO DOS SÍMBOLOS

 

            Considerando que os sinais ideográficos que constituem os 12 (doze) Símbolos Zodiacais, representam a concepção das doze fases da evolução humana, devemos estudar atentamente seus significados esotéricos tendo sempre em mente que eles estão relacionados entre si, procurando observar também sua seqüência. No que diz respeito aos 10 (dez) Símbolos Planetários, é importante percebermos as possíveis influências que estes astros expressam em suas formas ideográficas.

 

                        2.1 INTERPRETAÇÃO DOS SÍMBOLOS DOS SIGNOS

 

            A ideografia simbólica dos signos revela os atributos das próprias vibrações dos signos e podem serem compreendidos:

 

                        - ARIES      São os chifres do carneiro em posição de ataque. Signo relacionado com a cabeça do homem; O carneiro denota a impulsividade deste signo.

 

- TAURO   É a cabeça de um touro. Representa a persistência e a decisão no trabalho que deve ser realizado. É o metódico e perseverante trabalhador que assume e dá valor à superfície terrestre.

 

- GÊMINI  Duas linhas verticais se unem por outras duas horizontais, representando o conflito de idéias que leva à constante busca e ao aprimoramento do intelecto.

 

- CÂNCER São dois gametas, ou células responsáveis pela fecundação, pois este signo é o da maternidade e das profundas emoções da criação. O fecundado.

          

- LÉO  É a representação fálica do membro viril. Léo representa o líder nato; o poderoso, o fecundante. Um nobre que através da ação se faz rei.

 

- VIRGO    Representação de um animal de cauda abaixada, protegendo o órgão da procriação. Indica o repouso e a castidade. Simboliza o trabalho humilde; está ligado aos deveres cotidianos.

 

- LIBRA     Símbolo da balança que representa o equilíbrio. Equilíbrio dinâmico que está ligado à justiça. É a harmonia cósmica que prevalece no universo e à qual denominamos amor.

- SCÓRPIO Representação de um animal com a cauda levantada, oferecendo-se ao desejo genésico. É o signo relacionado com as partes genitais do corpo humano e representa o estado de Evolução em que os seres evolutivos se preparam para a perpetuação da espécie.

 

? - SAGITÁRIO A seta direcionada, ou o animal transformando-se em homem, representa o estágio em que o ser evolutivo se dirige em busca das origens divinas. É a Iniciação.

 

? - CAPRICÓRNIO A figura representa o peixe-cabra”. É a corporização; o animal que abandonou a Água Primordial e subiu à Montanha, de onde observa a evolução.

 

? - AQUÁRIO Representa a Água Primordial; a água invisível de onde surgiu a vida. Está relacionado com o desejo sedento de Sabedoria, da Ciência e do Progresso.

 

? - PISCES    São dois delfins que mergulham no oceano da vida para trazer ao Espírito o desejo da Evolução e da Ciência. Está relacionado com a vontade do Homem, deve completar o trabalho que outros iniciaram.

 

2.2 COMPOSIÇÃO DOS SÍMBOLOS PLANETÁRIOS

 

            A composição hieroglífica dos planetas, ou os símbolos gráficos destes corpos celestes, devem ser muito bem compreendidos pelo estudante, pois constituem a base para o desenvolvimento de uma compreensão maior das influências que exercem em sua própria formação, manifestação, constituição e caráter.

 

            Convém assim, que tenhamos em mente os princípios básicos que perfazem a composição primordial destes Símbolos Planetários, partindo da seguinte consideração:

 

            “A composição básica dos Símbolos Planetários é o Círculo, o Semicírculo e a Cruz.”

            Assim podemos entendê-los:

 

                        2.2.1 CÍRCULO

 

                                               COMPREENDIDO COMO O PLANO ESPIRITUAL

                                                           Símbolo Universal do infinito: O ESPÍRITO, em sua expressão divina e primordial. É o “Ovo de Brahma” não fecundado.

 

2.2.2 SEMICÍRCULO

 

                                               COMPREENDIDO COMO O PLANO ASTRAL

                                                           Símbolo da ALMA: representa a matéria evolucionante. São as vibrações entre o espiritual e o material.

 

 

2.2.3 CRUZ

 

                                               COMPREENDIDA COMO O PLANO MATERIAL

                                                           É o CORPO denso do ser criado. É a encarnação e a reencarnação; a matéria que serve de santuário para a evolução.

 

                        Podemos entender esta trindade, dispondo os símbolos da seguinte forma:

 

                                   PAI                                          PAI  (BRAHMA - OSIRIS)

                                  

  

 


 

                       

                           MÃE       FILHO                        (SHIVA - ISIS)       (VISHNU - HORUS)

                                                                        ESPÍRITO SANTO       FILHO

 

            Devemos entender que dependendo da forma com que se apresente o símbolo de um planeta, ou seja, quando incorpora um, dois ou três desses aspectos (círculo, semicírculo e cruz), é que se revela o grau peculiar de suas vibrações e estas vibrações serão definidas pela soma dos aspectos que compõem o símbolo em si.

 

            Exemplos:

 

¢ - SOL É essencialmente espiritual, pois é retratado somente por um círculo e um ponto.

 

¤ - VÊNUS Tem o ideal espiritual elevado acima da matéria, pois o círculo aparece acima da cruz e não existe o semicírculo.

 

Ao compreendermos este princípio, entenderemos por que cada planeta expressa uma determinada virtude ou tendência. É importante notar que cada planeta sempre apresenta um duplo aspecto de qualidades morais; um aspecto positivo e outro negativo.

 

Consideremos ainda, na formação do Símbolo Planetário, as seguintes condições:

 

           O ESPIRITUAL

           É o centro que irradia as energias; é ele quem deve governar.

 

           O ASTRAL

            É o filtro das energias. É o refletor que envia aos homens as energias espirituais.

 

            MATERIAL

            É o meio onde deve ocorrer a manifestação. É o centro receptor das energias; é o local onde habita a vida.

 

2.3 INTERPRETAÇÃO DOS SÍMBOLOS DOS PLANETAS

 

            Considerando que os próprios hieróglifos revelam as influências destes astros no indivíduo e na natureza, vejamos uma pequena interpretação destes símbolos:

 

                        ¢ - SOL - Um círculo com um ponto no centro. O espírito manifestando-se. Sendo a manifestação visível de Deus; é o elemento fecundante. Representa o poder da ação.

 

                        ¡ - LUA - Dois semicírculos representando o crescente lunar. Símbolo essencial do mundo astral, é a Alma; o elemento fecundado. Representa também a emoção. A mãe.

 

£ - MERCÚRIO - O Semicírculo elevado sobre o círculo, que por sua vez se eleva sobre a cruz. Embora denote os propósitos espirituais acima do material, ainda tem prevalecendo sobre este, as emoções da alma. Não está totalmente definido.

 

¤ - VÊNUS - O círculo sobre a cruz. Aqui, denota-se a ausência do Astral; é o espiritual acima da matéria. O desejo de equilíbrio que só se realizará na trilogia. Portanto o aspecto que denota amor espiritual pode ser visto como a força de coesão que se expressa na matéria - atração sexual. Está relacionado ao Amor.

 

¥ - MARTE - É a cruz elevada sobre o círculo. Também é expresso por uma seta sobre o círculo. A força criadora do espírito que dirige a matéria, embora os propósitos materiais estejam acima das vibrações espirituais.

 

¦ - JUPITER - O semicírculo eleva-se sobre a cruz, mas, na horizontal. As ânsias da alma sobressaem acima do material, mas realizam-se nas condições terrenas e não nas espirituais, como é o caso de Netuno.

 

§ - SATURNO - A cruz eleva-se sobre o semicírculo. A matéria prevalece sobre o astral, ou seja, os desígnios do Carma se realizam. A matéria deve equilibrar-se na justiça ou jamais se libertará, pois Saturno representa o movimento de contração, cristalização e inflexibilidade. Impõe o dever.

 

¨ - URANO - Dois semicírculos no mesmo plano da cruz se elevam acima do círculo. Urano dá início a uma primeira série de um ciclo mais elevado de influência astral. Simboliza a mente que se ilumina na matéria, perfeitamente conectada com os planos da intuição superior.

© - NETUNO - O semicírculo elevado sobre a cruz. As setas indicam a direção a se projetar; a alma e a matéria na ânsia de se realizarem espiritualmente. Está definido; o astral sobrepõe a matéria e ambos se elevam.

 

ª - PLUTÃO - O círculo acima do semicírculo que se eleva sobre a matéria (pouco se tem escrito sobre este planeta). Parece indicar-nos a forma perfeita e definida. Está ligado à consciência e tem, entre muitas qualidades, a capacidade de Organizar, Transmutar e Regenerar.

 

2.4 O SIMBOLISMO TEOGÔNICO

 

            Aspecto importante na análise dos planetas é possuir também, um conhecimento teórico do Simbolismo Teogônico (a origem - dos Deuses) destes planetas, pois através dele poderemos observar um desenvolvimento evolutivo que nos conduzirá a reflexões relacionadas com a natureza do espírito humano.

 

            A exemplo, podemos avaliar as origens dos deuses mitológicos, segundo o conceito grego, partindo do mais velho deles:

 

            URANO gera SATURNO (é o espaço celestial criando o tempo). O reino de Saturno, que é somente o caos, é sucedido pela ordem construtiva de seu filho JUPITER (é a harmonia oriunda do tempo e do espaço).

 

            Logo após, vem o primeiro filho de Júpiter, Marte, que é o princípio ativo masculino. Depois, em segundo, vem VÊNUS, o princípio neutro ou andrógino (a manifestação ou ponto equilibrante).

 

            A pesquisa no campo da Mitologia é altamente benéfica para uma maior compreensão da Astrologia, pois, como podemos observar, o aspecto esotérico que se encontra velado na Mitologia tem muito a nos ensinar na senda do Ocultismo.

 

3.     CASAS ASTROLÓGICAS

 

            Também chamadas Terrestres ou Setores da Carta. São as divisões que fazemos de um horóscopo em doze partes, correspondendo aos doze signos.

 

            Partimos de uma linha horizontal (cúspide), a qual demarca a primeira casa do signo que rompe no céu, no exato momento do nascimento do indivíduo a que se refere o horóscopo.

 

            Cada umas destas divisões representa um departamento, período, ou condição da vida. Embora sejam análogas aos signos do Zodíaco, que possuem 30º exatos, as Casas Terrestres nem sempre tem os 30º exatos do arco. Entende-se também, que além de não coincidirem os graus, nem sempre haverá coincidência do primeiro signo do Zodíaco com a primeira casa do horóscopo. Deste modo, uma pessoa terá sua 1ª Casa Terrestre (o chamado Ascendente), em qualquer ponto do Zodíaco, não importando o Signo Solar sob o qual tenha nascido, pois a 1ª Casa ou Ascendente é demarcado pelo signo que rompe no horizonte no ponto Leste, em relação ao local e hora de seu nascimento.

 

            Pode-se entender, enfim, que a Carta Astrológica, ou Horóscopo, corresponde a uma divisão duodenária da esfera terrestre, que diz respeito às doze divisões da esfera celeste, portanto aos Signos do Zodíaco.

 

                        3.1 SIGNIFICADO DAS CASAS

 

            Cada casa tem um significado e está relacionada com uma condição específica. Assim as podemos compreender, resumidamente:

 

                        CASA 1 - (ASCENDENTE)

            Governa a vida, a personalidade, marcando especialmente a infância; rege o físico; marca o ser, o eu.

 

                        CASA 2 -

            Revela a capacidade do indivíduo de ter lucro, auferido pelo esforço individual; fortuna; resultado do trabalho material, intelectual e espiritual.

 

                        CASA 3 -

            Revela a proximidade; pequenas viagens, parentes próximos, irmãos, vizinhos, mente concreta, prática; aptidão para artes úteis e imediatas; visão focalizada; objetiva e limitada.

 

                        CASA 4 - (FUNDO DO CÉU)

            Representa os pais. As origens do indivíduo, suas raízes, seu meio ambiente, sua morada, seu íntimo, aquilo que vem do interior, suas heranças.

 

                        CASA 5 -

            Produções materiais, intelectuais e espirituais, filhos, livros, o que é projetado fora do indivíduo - suas obras.

 

                        CASA 6 -

            Saúde, enfermidades, dificuldades a vencer, trabalho a realizar, responsabilidades e preocupações  de toda espécie.

 

                        CASA 7 - (DESCENDENTE)

            Associações. Relações com terceiros ou entidades; modificações do caráter pelas relações amigáveis ou hostis. O casamento; a individualidade por oposição à personalidade; os contratos, as disputas, a extroversão.

 

                        CASA 8 -

            Morte, transformação, regeneração. Decrepitude, decomposição, heranças materiais; começo e fim do ciclo pessoal anímico; habilidades ocultas; sonhos.

 

                        CASA 9 - ( INICIAÇÃO)

            Elevação mental e espiritual, aspirações filosóficas e místicas, mente abstrata, cultura, viagens do espírito, sonhos e visões proféticas.

 

                        CASA 10 - (MEIO DO CÉU)

            Honra, ação na sociedade, nível social. Êxito obtido em conseqüência do trabalho. Poder potencial do nativo; objetivos do esforço individual, ambições realizáveis.

 

                        CASA 11 -

            Amigos, a proteção, ajuda espiritual, moral e material, socorro em casos de necessidade. Afinidades. Também do autodomínio, a amplitude de idéias, a tolerância e a diplomacia.

 

                        CASA 12 -

            Isolamento, introspeção, limitação das possibilidades individuais, obstrução, obstáculos. Adversários ocultos, confinação, prisão, enfermidades graves. Marca o insólito, as atividades ocultas.

 

3.2 DIVISÕES DAS CASAS

 

            Em decorrência do conceito da Dinâmica Universal, que se refere às Leis da Impulsividade, Estabilidade e da Mutabilidade, dividimos as Casas Astrológicas, bem como, os signos, por estarem análogos, em:

 

                        Cardinais, Fixos e Comuns.

 

            Vejamos estas divisões:

 

3.2.1 CASAS CARDINAIS OU ANGULARES

 

            Estas casas compõem o equilíbrio do Tema Astrológico de um indivíduo. São as posições mais firmes do Tema Astral. Constituem-se na Casa I, ou Ascendente, Casa IV, Casa VII, Casa X. Estas casas estão relacionadas com a Lei da Dinâmica Universal referente à impulsividade; retratada no movimento linear (igual a uma reta ______ ) Daí sua palavra chave ser: atividade ou ação.

 

            Ao compreendermos que nas Casas Cardinais a impulsividade é a lei que as rege, entendemos que todos os elementos contidos nestas casas ou signos serão também de natureza impulsiva. Podemos relacionar a regência desta Lei da Dinâmica Universal, com a atividade, energia, coragem, iniciativa e audácia, que vamos encontrar nos signos correspondentes a estas casas, ou seja, em Aries, Câncer, Libra e Capricórnio.

 

I.) O QUE REPRESENTAM AS CASAS ANGULARES

 

            As Casas Angulares ou Cardinais, mostram coletivamente a área de nossas atividades em nossa vida terrena, pois indicam:

 

a)  QUEM SOMOS

            Na Casa I: através de nossa personalidade, constituição, caráter, inclinações, qualidades e debilidades inatas e a aparência física - VIDA.

 

b)  O QUE SOMOS

            Na Casa VII, através de todas as formas de associações, desde a matrimonial até a iniciática, que, forçando nossa individualidade (Casa I), propõe a evolução pessoal à base do contraste. É na sociedade que revelamos o que somos. COMPLEMENTAÇÃO.

 

c)   POR QUE SOMOS

            Na Casa IV, através do ambiente onde o indivíduo nasceu, indica a infância e a velhice, o começo e o fim da existência - o Pai ou a Mãe - sensualidade instintiva. MARCAS HEREDITÁRIAS.

 

d)  COMO SOMOS

            Na Casa X, através de nossa honra, êxitos obtidos através do trabalho - realização pessoal - crédito e respeito público. Estado social e a comunidade em que vivemos. PODER.

 

                        II DIVISÕES DAS CASAS ANGULARES

 

            Entendemos que as Casas Angulares ou Cardinais são as casas mais firmes do Tema, pelas suas próprias posições. Pois estão assim dispostas:

 

                                               CASAS                                              SIGNOS

                                                 Sul                                                    Meio do Céu

  


 

                                            X                                                                 ?

  


 

                                                                  VII                     Ascendente                  

                                                                                  OU

                     Leste   I                                    Oeste                                             Descendente

 

 

                                                      IV                                                            

                                              

                                               Norte                                                  Fundo do Céu

 

III.) REGÊNCIA NAS CASAS ANGULARES

                       

Considerando que cada casa ou signo tem 30º, e está dividido em três decanatos ou fatores de 10º cada um, quando analisamos as casas devemos levar em conta os Regentes dos Decanatos; Os Regentes Secundários, pois são fundamentais para demarcar os períodos ou acontecimentos. Estão assim distribuídos:

 

                        CASA I -        1º REGENTE: O caráter, as tendências e as preferências na primeira

    parte da existência.

                                               2º REGENTE: A constituição, a forma do corpo, a vitalidade e as

    possíveis modificações que o nativo poderá sofrer em seu caráter e

    em suas tendências, durante toda a vida.

                                               3º REGENTE: O caráter, as tendências e as preferências na última

    parte da existência.

 

                        CASA VII -    1º REGENTE: Cônjuge e o casamento.

                                               2º REGENTE: Os processos e as questões legais.

                                               3º REGENTE: A vida no fim da existência.

 

                        CASA IV -      1º REGENTE: Mãe no horóscopo masculino; pai no horóscopo femi-

    nino.

                                               2º REGENTE: As propriedades da família e os bens de raiz.

                                                3º REGENTE: A vida no fim da existência.

 

                        CASA X -       1º REGENTE: A profissão e a posição social.

                                               2º REGENTE: As honras, as dignidades e a autoridade.

                                               3º REGENTE: Mãe no horóscopo feminino; pai no horóscopo mascu-

    lino.

 

3.2.2 EIXOS ANGULARES

 

            Sendo estes as linhas que demarcam o Horizonte e o Meio do Céu em um Tema Astral, representam pela linha horizontal a Força Criadora e pela linha vertical a Eternidade, em analogia com os signos que estão relacionados com as casas angulares.

 

I.) PRIMEIRO EIXO ANGULAR

 

            Correspondente à Casa I e a Casa VII, é o que revela o nativo. Em analogia com os signos, representa a FORÇA CRIADORA, pois com Áries na Casa I e Libra na Casa VII, ficam assim representados:

 

                        ARIES () é o líder que usa a energia e a iniciativa, mostrando sua personalidade combativa de maneira franca. Sua força está na cabeça, sua testa é iluminada para defender a verdade. Ação, coragem e consciência da própria vontade. É o EU SOU - Exatamente o que revela a 1ª casa terrestre.

 

                        LIBRA () o outro extremo do eixo, é a harmonia  e a justiça daquele que medita, que coordena e colabora. Libra é aquele que considera o outro lado do eu, O TU. O Carneiro é o homem; a Balança é a humanidade. Na Casa I vemos a independência  e a verdade; na Casa VII vemos a coletividade  e a justiça.

 

            Talvez o que seja necessário para o homem é descobrir a Força Criadora, simbolizada nesse eixo, e compreender qual de suas casas está oposta às Luzes existentes no horizonte. Como o signo que está na passividade do subconsciente, que precisa ser iluminado e despertado para o amadurecimento e a auto realização.

 

            Devemos entender que a verdade contida em Áries e o seu impulso, devem ser medidos e considerados pelos direitos alheios, sem impor os seus próprios. Assim, um impõe e deve aprender a ceder; e o outro cede e deve aprender a impor e agir.

 

            “Toda ação sem justiça e harmonia, é luta e guerra. Toda procura de harmonia e justiça sem energia e ação, é desequilíbrio e aniquilação.”

 

II.) SEGUNDO EIXO ANGULAR

 

            Correspondente à Casa IV e a Casa X, é o que revela o ambiente do nativo. Em analogia com os signos que ocupam estas casas, representa a ETERNIDADE, com Câncer na Casa IV e Capricórnio na Casa X.

 

                        CÂNCER () representado pelo caranguejo com seus passos para a frente e para trás, é a fé e a gratidão. A sensibilidade e a visão do amanhã; a conservação emocional do ontem.

 

                        CAPRICÓRNIO (?) representado pela cabra, é a expressão da segurança e a prudência. Da concentração e da capacidade de se elevar pelas ações praticadas agora. É a RAZÃO, a confiança e o raciocínio.

 

            O Eixo da Eternidade está representado pela fé, pela sensibilidade e pela motividade que devem buscar o equilíbrio da vida, no caminho da razão e do raciocínio. Equilíbrio este que se manifestará na certeza que o amanhã será o hoje.

 

            “Buscai a razão e a fé, pois, será somente desta forma que compreendereis a importância de saber chorar sorrindo e a de sorrir chorando.”

 

III.) O EQUILÍBRIO DAS CASAS ANGULARES

 

            Em relação aos signos que analogamente ocupam as casas angulares I e VII - IV e X, seria conveniente ressaltar que; três são de natureza animal: , , ? e o quarto que não sendo animal representa o ideal em que esta classe de signos animais deve se esforçar. Isto se depreende da energia impulsiva que existe nas casas angulares, requerendo equilíbrio e harmonia para realização das verdadeiras operações que devem ocorrer através dos signos.

 

3.2.3 CASAS FIXAS OU SUCEDENTES

 

            Constituídas pelas Casas II, V, VIII e XI, são as que seguem imediatamente às Casas Angulares. Estas casas estão relacionadas com a dinâmica universal referente à estabilidade, retratada no movimento vibratório (igual a um semicírculo          ). Daí sua palavra chave ser estabilidade ou fixabilidade.

 

            Nestas casas, devemos também entender que sendo a estabilidade a lei que as rege, verificamos que todos os elementos contidos nestas casas, bem como, os signos, são de natureza estável ou fixa.

 

            Assim, teremos o Fogo Estável, a Água Estável, o Ar Estável e a Terra Estável, numa combinação útil e complementar, pois o ar estável mantém o fogo estável e a terra estável será estéril sem a água estável.

 

            Podemos, deste modo, relacionar a regência desta Lei Dinâmica Universal dizendo que: A estabilidade com a elevação dos desejos é que dá fibra e persistência para a ação, o que iremos encontrar nos signos análogos destas casas.

 

                        I-) O QUE REPRESENTAM AS CASAS FIXAS

 

            As casas fixas ou estáveis, mostram coletivamente a área das aquisições e das produções em nossa existência, pois indicam:

 

                        a-) O QUE TEMOS

 

            Na Casa II, através das finanças e fortunas. A independência ou sujeição econômica do nativo - A capacidade de adquirir lucros e acumulá-los, bem como, os prejuízos - Os LUCROS pelo esforço individual.

 

                        b-) O QUE CONQUISTAMOS

 

            Na Casa VIII, através da libertação das limitações. A MORTE. Os sonhos, os pesadelos, as habilidades ocultas e as questões ligadas a pessoas falecidas. Aqui vemos as heranças materiais e os bens espirituais conquistados.

 

                        c-) O QUE PRODUZIMOS

 

            Na Casa V, através da produtividade, da fecundidade. Informa-nos sobre os filhos, as afeições, os casos amorosos. A especulação e os divertimentos. Enfim, as PRODUÇÕES MATERIAIS E ESPIRITUAIS para fora do indivíduo; sua própria obra.

 

                        d-) O QUE GANHAMOS

 

            Na Casa XI, através da ajuda dos AMIGOS, de forma material, moral e espiritual. Informa a amizade, os companheiros e os protetores. As esperanças, os ideais, ambições e desejos. Marca a amplitude de idéias.

 

                        II-) DIVISÕES DAS CASAS FIXAS

 

            Entendemos que nas casas fixas as influências elevam a natureza dos desejos, criando força para a ação, e persistência para a modificação.

 

Vejamos suas posições:

 

 

 

                        III-) REGÊNCIAS NAS CASAS FIXAS

 

            Dividindo os 30º das casas fixas em três Decanatos, ou fatores de 10º cada um, vamos considerar os Regentes Secundários. Vejamos, assim casa por casa:

 

                        Casa II -1º Regente: Indica as riquezas do primeiro período da vida.

                                     - 2º Regente: As riquezas no segundo período da vida.

                                     - 3º Regente: As riquezas no terceiro período (da velhice até a morte).

 

                        Casa VIII - 1º Regente: Indica o gênero de morte, os dons espirituais e os sonhos.

                                         - 2º Regente: Indica a fortuna do cônjuge e dos associados.

                                         - 3º Regente: As heranças, legados e questões vinculadas às pessoas fale-

cidas.

 

                        Casa V - 1º Regente: Indica os filhos, suas vitalidades e suas inteligências.

                                    - 2º Regente: Os prazeres e divertimentos, as afeições e sensualidades.

                                    - 3º Regente: A sorte, os jogos e especulações.

 

                        Casa XI - 1º Regente: Assinala informações sobre os amigos e sua sinceridade, bem

como, sua utilidade.

                                       - 2º Regente: Indica esperanças, desejos e ideais.

                                       - 3º Regente: A sorte, os jogos e especulações.

 

3.2.4 EIXOS FIXOS

 

            Sendo as linhas que formam os eixos com os signos de Tauro () e Scorpio (); Leo () e Aquário (?), representam a matéria criada e o amor, respectivamente.

 

I)   PRIMEIRO EIXO FIXO

 

            Corresponde à Casa II e à Casa VIII, que assinala exatamente as aquisições do nativo. Em analogia com os signos, representa a MATÉRIA CRIADA. Com na Casa II e na Casa VIII, ficam assim representados:

 

                        TAURO () através das glândulas executam e realizam, aglomerando a matéria de uma forma obediente e fecunda, pois, Tauro quer realizar e possui o senso de conservar, com todo o carinho e amor o que deseja.

 

                        SCÓRPIO () através das partes genitais, representa a destruição, ou antes, a transmutação de forma consciente, agindo por seu próprio desejo, o que leva à liberdade do espírito.

 

            Tauro aceita e executa. Scorpio enfrenta e mostra sua decisão.

 

            O simbolismo que se revela neste eixo está representado na eterna necessidade da transmutação real para a ação do ciclo e evolução. Assim, para a Matéria Criada (recriada), haverá sempre a necessidade da morte () que autoritariamente se organiza para o renascer obediente, através da fecundidade ().

                       

II-) SEGUNDO EIXO FIXO

 

            Corresponde à Casa V e à Casa XI, é o que revela tudo aquilo que o nativo produz. Em analogia com os signos que ocupam estas casas, representa o AMOR, com Leo () na Casa V e Aquário (?) na Casa XI. Leo a força solar atrativa, é o rei; o magnetismo que disciplina. O próprio coração. Enquanto que o homem é a irradiação, representado pelo aguadeiro que espalha a água sobre a terra para fazer crescer a planta.

 

            Talvez este seja um dos eixos mais difíceis de se compreender e justificar em analogia comum, por representar o AMOR. Em verdade é um eixo fundamental, pois se o constante pulsionar entre estes dois polos, o que atrai e irradia, falhar, não haverá vida. E a vida é a mais pura manifestação do Amor Divino.

 

            Talvez seja necessário que o homem, aí compreenda, que para haver equilíbrio perfeito e assim, a mais pura expressão se fazer presente, é que deve agir, porém dar; atrair, porém irradiar.

 

                        III-) O EQUILÍBRIO DAS CASAS FIXAS

 

            Em relação aos signos que ocupam estas casas, três são de natureza animal, , e , bestiais e violentos e um, de natureza humana, o quarto ?, representando na figura do aguadeiro, indica sempre o ideal em que esta classe deverá se encaminhar. O equilíbrio nascerá na busca de procurar ser mais humano, de tornar-se a imagem do Criador.

 

3.2.5 CASAS COMUNS, CADENTES OU MUTÁVEIS

 

            A Dinâmica Universal, por suas duas manifestações básicas: impulso e estabilidade, criou uma terceira manifestação que se caracteriza por um movimento pendular e representa a força de equilíbrio entre ambas: é o ritmo mutável (igual a um círculo: O).

 

            As Casas Cadentes, Mutáveis, ou ainda, Comuns, são móveis e os planetas aí situados indicam a capacidade de adaptação do indivíduo. Portanto os elementos aí existentes também tem as características da mutabilidade.

 

I)   O QUE REPRESENTAM AS CASAS COMUNS

 

            Ligadas ao potencial da adaptação do nativo, podemos compreender que é assim representada cada casa:

 

                        a-) O QUE APRENDO

 

            Na Casa III, é relativo ao potencial de desempenho e assimilação que o indivíduo adquire em meio ao seu ambiente natural, onde os intentos e as experiências consolidam sua Mente Inferior.

 

                        b-) O QUE ASPIRO

 

            Na Casa IX, é o despertar da religiosidade na busca da filosofia e das leis, é o início da busca da Mente Superior.

 

                        c-) O QUE REALIZO

 

            Na Casa VI, é a solidificação dos intentos e experiências, que criarão métodos de consulta salutar, técnicas e aperfeiçoamentos laboriosos e o relacionamento com servidores ou empregados.

 

d-) O MEU DESTINO

 

Na Casa XII, representa a limitação física, através da qual brota a mente superior propriamente dita. É o ocultismo alcançado através do Sacrifício.

 

II-) DIVISÕES DAS CASAS COMUNS

 

Sendo estas casas ou signos, ou mais predispostos à mutabilidade no Zodíaco, estão colocadas entre as Angulares e as Fixas.

 

Estão assim distribuídas na Carta Astral:

 

 

 

III-) REGÊNCIAS NAS CASAS COMUNS

 

Os Regentes Secundários destas casas estão assim divididos:

 

CASA III - 1º REGENTE: Os irmãos, parentes e vizinhos mais velhos.

                - 2º REGENTE: Os irmãos, parentes e vizinhos mais novos.

                - 3º REGENTE: As pequenas viagens e as mudanças.

 

CASA IX - 1º REGENTE: As longas viagens e os tios.

                - 2º REGENTE: A fé, a cultura e os instrutores.

                - 3º REGENTE: A ciência e as artes.

 

CASA VI - 1º REGENTE: Indica as doenças.

                - 2º REGENTE: O trabalho e os instrumentos nele utilizados.

                - 3º REGENTE: Os pequenos animais e os servidores subalternos.

 

CASA XII - 1º REGENTE: Os inimigos ocultos e os traidores.

                 - 2º REGENTE: Os sofrimentos, internamentos, doenças e prisões.

                 - 3º REGENTE: Os grandes animais e os trabalhos penosos.

 

3.2.6 EIXOS COMUNS

 

            Os eixos formados pela relação entre as casas comuns, podem ser chamados de conhecimento e realização.

 

                        I-) PRIMEIRO EIXO COMUM

 

            Corresponde às Casas III e IX, que revela o aprendizado do indivíduo, representa o CONHECIMENTO. Podemos entender esta relação comparando os regentes das casas, da seguinte maneira:

 

                        GEMINI () está na Casa III e seu regente é Mercúrio (£), planeta da razão e da intelectualidade, representa o APRENDIZADO, tanto pelo relacionamento como pelas instruções que desenvolvem e estimulam a Mente Inferior. Seu extremo oposto é a Casa IX.

 

                        SAGITÁRIO (?) domina a Casa IX. É a besta que começa a se transformar em homem, tendo um objetivo ou alvo a alcançar. Seu planeta regente é Júpiter (¦), planeta da benevolência e do idealismo.

 

II) SEGUNDO EIXO COMUM

 

            É a relação estabelecida entre a Casa VI e a Casa XII. Este eixo representa a REALIZAÇÃO.

 

             Em seus extremos temos:

 

            A Casa VI, análoga a Virgo (), que tem como regente Mercúrio (£). É interessante observar que a repetição de Mercúrio na Casa VI, estabelece uma relação direta com a Casa III (observamos que se manifesta duplamente no plano inconsciente).

 

            O domínio desta casa está relacionado com o que foi absorvido na Casa III, ou seja, a aplicação e ampliação da capacidade geradora do indivíduo.

 

            No extremo oposto, temos a Casa XII, governadora por Pisces (?), que é regido por Netuno (©), o planeta da Divindade, o que vem completar o aspecto realizador deste eixo.

 

 

4.     SIGNOS

 

            É necessário que o estudante compreenda que o ZODÍACO NATURAL, também conhecido por ZODÍACO SIDERAL, correspondente às constelações zodiacais, cujas dimensões muito variam de uma para outra, não correspondente exatamente em sua divisão de graus, ao ZODÍACO INTELECTUAL ou ZODÍACO ASTROLÓGICO, também chamado ZODÍACO MATEMÁTICO.

 

            No ZODÍACO ASTROLÓGICO, as divisões dos setores que correspondem às doze constelações, são iguais, isto é, possuem 30º cada uma e são conhecidas por Casas Celestes ou Signos. Estas Casas Celestes, em relação ao homem, dão origem às Casas ou Setores do Horóscopo. Estes 30º são subdivididos em três partes, cada um com 10º, formando os denominados Decanatos. Deste modo, os primeiros dez graus determinam o 1º Decanato; do décimo primeiro ao vigésimo grau estabelecem o 2º Decanato; e deste último ao vigésimo nono grau e mais cinqüenta e nove minutos, determinam o 3º Decanato.

 

            Há certas condições astrais que adicionadas determinam as características de influência mais marcante na vida do indivíduo, como veremos em estudos posteriores. Para melhor compreendermos estas condições é necessário que analisemos os signos através de suas mais peculiares vibrações.

 

            Esta análise dos signos poderá ser efetuada em correspondência a três condições: Material, Astral e Espiritual.

 

                        a-) CONDIÇÃO MATERIAL - Corresponde ao Signo Solar; é o signo determinado pelo movimento do sol no Zodíaco, que dura aproximadamente um mês. Representa o dia a dia, o destino do indivíduo, O CARMA.

 

                        b-) CONDIÇÃO ASTRAL - Corresponde ao Signo Lunar; determinado pelo signo que a Lua ocupa no instante do nascimento. Representa o emocional, os sentimentos, A ALMA.

 

                        c-) CONDIÇÃO ESPIRITUAL - Corresponde ao Signo Ascendente; determinado pelo signo que desponta no horizonte, ao leste, em referência ao local e ao exato momento do nascimento do indivíduo. Representa o EU, suas vibrações e suas potências.

 

                        4.1-) DIVISÕES DOS SIGNOS

 

            Os signos correspondem às seguintes categorias básicas:

                       

                        4.1.1-) Divisão conforme os elementos.

                        4.1.2-) Divisão conforme as qualidades.

                        4.1.3-) Divisão conforme as polaridades.

 

            Existem muitos astrólogos que apresentam outras classificações de menor importância, algumas das quais citamos a título informativo sob o tópico.

 

                        4.1.4.-) Outras Classificações.

 

            A necessidade que existe de procurarmos desenvolver um estudo mais profundo dos signos, ou casas, é porque existe uma série de características ou qualidades que lhes são próprias. Somente fazendo as avaliações destas condições, é que entenderemos a natureza de um signo, planeta ou casa, uma vez nenhuma força ou condição se manifesta isoladamente.

 

            Assim, no quarto tópico analisaremos os signos, ou casas, em relação aos elementos, às qualidades, às suas polaridades e ainda a outras divisões ou classificações.

 

                        4.1.1-) DIVISÃO CONFORME OS ELEMENTOS

 

            Quanto aos elementos, os signos estão divididos em quatro grupos, divididos em quatro grupos, formando a Triplicidade dos Signos.

 

            Os elementos são a cristalização das quatro forças originárias e fundamentais primárias. São denominadas Radiante, Expansiva, Fluente e Coesiva. Elas dominam, cada uma, sobre três signos característicos. A esta reunião, chamada Triplicidade de Elementos, designam-se as características: do Fogo, Ar, Água e Terra, e que denominaremos: “TRIÂNGULO”.

 

 

 

            De acordo com os elementos, os signos estão assim distribuídos:

 

                        FOGO             Aries                Leo                  Sagitário

                        TERRA           Tauro               Virgo               Capricórnio

                        AR                  Gemini             Libra                Aquário

                        ÁGUA             Câncer             Scorpio            Pisces

 

 

                        A-) TRIÂNGULO DA VIDA

            Representado pelos signos: , , ?, nas Casas I, V, e IX.

 

            Neste triângulo, o primeiro da Carta Astrológica, seu elemento é o FOGO. A vida se faz presente da seguinte forma:

 

                        Casa I  - A vida do nativo () - Eu sou.

Casa V - A vida nos filhos () - Eu realizo.

Casa IX - A vida em Deus (?) - Eu me ilumino.

 

O ELEMENTO FOGO

                       

            É o primeiro dos quatro elementos. Tem uma natureza positiva masculina. Sendo um elemento criador por excelência, possui três funções principais: Criador, Destruidor e Purificador.

 

             Por sua natureza masculina, implica-lhe a faculdade da paternidade. E ser pai, é dar generosamente germes energéticos capazes de vitalizar as condições femininas, originando assim um processo de reprodução cuja missão é conservar a espécie.

 

            A manifestação cinética deste elemento é o calor, e é a proporção do calor que estabelece as distinções entre os signos desta triplicidade, ou seja, entre: , e ?.

 

                        OS SIGNOS DESTA TRIPLICIDADE

 

            Chamados signos ígneos, são em decorrência do elemento fogo; quentes e secos e correspondem à substância espiritual e ao temperamento bilioso; aumentam a energia física e desenvolvem a ambição e a iniciativa, proporcionando espiritualidade, eloquência e desejos de honra.

 

            O elemento fogo age nas casas nas seguintes formas:

 

Na Casa I - () - Origina através da mente. O fogo estimula o cérebro; é a franqueza de Áries.

                        Na razão - O fogo permite “ser o que é”.

 

Na Casa V - () - Constrói as obras do coração, na crença da justiça e do poder de Leo.

 

            Na emoção - O fogo permite “fazer o que deve ser feito”. “A semente é lançada, cabe à Misericórdia Divina determinar o que vai se gerar. O pai por sua vontade fecunda, mas não pode determinar a procriação”.

 

                        Na Casa IX - (?) - No perfeito equilíbrio da razão e da emoção, o fogo espiritual permite a iluminação, pois ele purifica e eleva o ser criado, preparando-o para ser o “homem” (?). Coloca o ser voltado para a Divindade e somente aquele purificado pode saber a direção a ser tomada.

 

                        B-) TRIÂNGULO DA REALIZAÇÃO

 

            Representado pelos signos: , , e ?, nas Casas II, VI e X.

 

            Neste triângulo, o segundo da Carta Astrológica, o elemento é a TERRA. A realização aí se manifesta da seguinte forma:

 

Casa II - Lei do Ganho ().

 

                        Casa VI - Lei do Trabalho ().

                        Casa X - Lei do Sucesso (?).

 

            Pode-se considerar também este triângulo, como sendo o triângulo da Ação. É na Terra que ocorre a manifestação do Fogo, dando assim, um sentido de continuidade à condição das casas anteriores (signos do fogo).

 

                        O ELEMENTO TERRA

 

             É o segundo elemento. A terra, o elemento da realização, é assim chamado pois é sobre ela que aqueles seres que se criaram, ou foram gerados na água, concluem a grandiosa tarefa de evoluir. É o mais rígido dos elementos e permite assim, que o homem se apoie sobre seus pés e estabeleça sua primeira condição de equilíbrio. Se o analisarmos no seu contexto, veremos que a terra tem condensada em seu interior a essência dos outros três elementos, portanto só poderá ser sobre este elemento que o homem fará manifestar sua realização.

 

                        OS SIGNOS DESTA TRIPLICIDADE

 

             Chamados signos terráqueos, são frios e secos. Este elemento conduz à inflexibilidade, persistência, estabilidade e poder de realização. Proporciona uma natureza construtiva, ambiciosa e realizadora.

 

                        Na Casa II - () - Seu símbolo representa o animal que nos primórdios da civilização puxou o arado e preparou a terra para o plantio. Representa a “força de vontade”, que pode ser acionada nos três planos de maneira lenta, mas persistente, na realização do trabalho.

 

            Tauro caminha na terra e sua morosidade reflete a segurança relacionada com a força de que é provido, que de maneira amena, passa deixando atrás de si o trabalho realizado; o método é sua forma de impor.

 

                        Na Casa VI - () - Representa a natureza que tem em seu ventre generoso o germe da vida e a capacidade de fazer com que esse germe dê continuidade ao seu ciclo, tornando-o algo criativo e aumentado seu estado de pureza inicial.

 

                        Na Casa X - (?) - Representa o Peixe-Cabra, o ser que contempla a sua própria transmutação. É análogo ao ser que abandona o Oceano Primordial e principia sua subida, montanha acima, de onde observa o panorama da Evolução, ou, pode ser interpretado como a forma das diretrizes ou opções que o homem faz ao precipitar-se no abismo aquático das paixões e da matéria, ou ainda, a escalada da Montanha Espiritual.

 

            O equilíbrio deste triângulo está no balanceamento entre as conquistas realizadas pelo esforço próprio, relacionadas com a Casa II, e os trabalhos de aplicação individual, relacionados com a Casa VI, que ocorrem de maneira inconsciente do indivíduo, manifestado na Casa X que é a casa das honras, do juízo e da autoridade.

 

                        C-) TRIÂNGULO DAS RELAÇÕES

 

                        Representado pelos signos: , e ?, nas Casas III, VII e XI.

                        Neste triângulo o elemento determinante é o AR.

                        A relação esta assim manifestada neste triângulo:

 

                        Casa III - Relação com Familiares ().

                        Casa VII - Relação com Associações ().

                        Casa XI - Relação com Amizades (?).

 

                        O ELEMENTO AR

 

            Para esta triplicidade o elemento cristalizador da Força Primária é o Ar. Consideramos que o ar é um grande elemento alimentador, de onde todos os seres vivos extraem sua nutrição, através da respiração. O ar é a grande cobertura que envolve o planeta; sem ele estaríamos expostos ao frio do espaço quando o Sol estivesse iluminando a outra face da Terra. E, estaríamos expostos a uma grande temperatura, quando o Sol estivesse brilhando sobre nosso horizonte. A ciência esotérica considera o ar como o segundo elemento positivo e grande amigo do primeiro: o fogo. É o terceiro elemento, de caráter expansivo, sua primeira casa de domínio e também a 3ª do Zodíaco, correspondente ao signo de Gemini que rege, no corpo humano, os braços e os pulmões.

 

                        OS SIGNOS DESTA TRIPLICIDADE

 

            Chamados signos aéreos são, devido ao elemento ar, quentes e úmidos. Correspondem à substância mental e ao temperamento sangüíneo, que se distingue por amizade, concórdia, inteligência e faculdades mentais.

 

            Correspondem a três estados da mentalidade:

 

1.   O despertar do intelecto; neste sentido corresponde aos primeiros estudos.

2.   A erudição científica, a expressão artística, seja gráfica ou literária.

3.   A mentalidade criadora, desvelada pela intuição que permite o descobrimento de novas técnicas, filosofias ou formas artísticas.

 

            O Elemento ar interage da seguinte forma, nestes signos:

 

                        Na Casa III - () - É o movimento da vida; a formação do intelecto pela assimilação e pela adaptação. É o ego socializando-se pela participação; tornando-se prático e expressando a força do intelecto.

 

                        Na Casa VII - () - É a harmonia, portanto o equilíbrio da vida. Representa a coletividade e a justiça. A mútua cooperação, na ciência e na arte, que proporciona através da associação o desenvolvimento da personalidade e da perda da individualidade.

 

                        Na Casa XI - (?) - É a fraternidade que persevera engenhosamente, através da inteligência hábil, que produz a evolução.

 

                        D-) TRIÂNGULO DA TRANSFORMAÇÃO

 

                        Representado pelos signos , e ?.

 

            É o quarto e último triângulo e tem como elemento a ÁGUA.

 

            A transformação ocorre nestes signos, nos seguintes aspectos:

 

                        Casa IV - A transformação Física ().

                        Casa VIII - A transformação Anímica ().

                        Casa XII - A transformação Espiritual (?).

 

                        O ELEMENTO ÁGUA

 

            A Água é o elemento mais abundante, encontrado na maioria dos seres vivos. Isto estabelece a relação entre os seres vivos e as suas origens, pois ousaram sair da água para se adaptar à terra. Transformação é a característica principal deste elemento, e a natureza assim nos demonstra. Desde a corrente elétrica que em muito nos beneficia, até os estados de putrefação orgânica necessários à natureza, tudo é ou envolve transformações provocadas pela água.

 

                        OS SIGNOS DESTA TRIPLICIDADE

 

            Chamados signos aquosos, são, em decorrência do elemento água, úmidos e frios. Tem uma condição flexível e elétrica, o que os conduz a uma adaptação mais restrita para com a forma do que para com a essência, isto é, os signos são exteriormente adaptáveis mas interiormente rebeldes.

 

            Este elemento proporciona: sensibilidade, impressionabilidade e emotividade. O elemento água interage nas seguintes casas:

 

                        Na Casa IV - () - Pelo signo da maternidade simboliza a força de coesão da natureza que mantém as formas criadas, e o instinto de conservação da vida. É o signo das emoções profundas criadas no universo materno. Os dois gametas que aparecem no símbolo estão envoltos num ambiente aquoso.

 

                        Na Casa VIII - () - Representando a transformação do homem, de seu estado de inocência e pureza, devido às suas paixões e prazeres sexuais. Ao mesmo tempo, simboliza a vitória final do ser espiritual sobre o reino da matéria. Representa, ainda, o estado de evolução em que os seres se preparam para a perpetuação da espécie. Tanto no sentido material, como espiritual..., paradoxalmente, é o signo da Eternidade e da Morte.

 

                        Na Casa XII - (?) - É o processo final da transformação das formas, iniciado em Capricórnio (?). É representado por dois peixes dispostos lado a lado, mas em sentido inverso, simbolizando o movimento final de libertação do espírito das malhas da matéria, por isto rege duas extremidades do homem, especialmente os seus pés, que lhe permite de forma dual manter-se na vertical e elevar sua mente ao Céu.

 

            Representa, ainda, a vontade: o que deve levar o homem à transformação física, moral e espiritual.

 

                        O PONTO DE EQUILÍBRIO

 

             É através da morte dos desejos físicos e dos instintos selvagens inatos que o ser se eterniza, permitindo a manifestação do potencial gerador de Scorpio (). Este estado ocorre em paralelo com a “Iniciação” representada por Pisces (?) e, portanto, no mesmo nível. Câncer () ampara e apoia esta manifestação através da Lua, seu regente, que representa a “alma”, e também se identifica com a deusa egípcia “Isis”, a grande iniciadora da alma nos Mistérios do Espírito.

 

4.1.2 DIVISÃO CONFORME AS QUALIDADES

 

             Em relação às qualidades, os signos se dividem em três grupos, formando a Qualidade do Zodíaco.

 

             Esta quadruplicidade é a mesma relacionada com as divisões das casas, que dizem respeito à Dinâmica Universal, a qual condiciona os signos a três ritmos básicos: a Impulsividade, a Estabilidade e a Mutabilidade.

 

            Assim, os Signos Impulsivos estão localizados nas Casas Angulares ou Cardinais; os Signos Estáveis ocupam as Casas Fixas ou Sucedentes e, os Signos Mutáveis localizam-se nas Casas Comuns ou Cadentes.

 

 

Os quatro elementos vistos anteriormente, estão distribuídos dentro destas três modalidades rítmicas. Por isto entendemos que existe um elemento em cada ritmo, a exemplo; um Fogo Impulsivo em Áries, um Fogo Estável em Leo e um Fogo Mutável em Sagitário.

 

            As modalidades rítmicas podem ser compreendidas nos signos com as seguintes características:

 

                        IMPULSIVIDADE - Em Áries, Câncer, Libra e Capricórnio.

 

                        Qualidades - Atividade, energia, coragem, iniciativa e audácia.

                        Debilidades - Irreflexão, despotismo, dispersão e orgulho.

 

                        ESTABILIDADE - Em Tauro, Leo, Scorpio e Aquário.

 

                        Qualidades - Concentração, realização, constância e reflexão.

                        Debilidades - Frieza, egoísmo, lentidão e apatia.

 

                        MUTABILIDADE - Em Gemini, Virgo, Sagitário e Pisces.

 

                        Qualidades - Flexibilidade, sensibilidade, percepção e adaptação.

                        Debilidades - Inconstância, alternativas de atividade e inércia, bem como, de entusiasmo e depressão.

 

                        4.1.3 DIVISÃO CONFORME AS POLARIDADES

 

            Quanto às polaridades, os signos se dividem de acordo com duas formas de energia, uma cinética e outra estática; em Masculinos e Femininos.

 

            Os Masculinos podem ser considerados ativos ou positivos. Os Femininos, são considerados negativos ou passivos. Este conceito de polaridade se explica pelo fato de todo o universo se expressar pela dualidade ou força dos opostos. Assim, compreendendo que a energia cósmica necessita de dois campos, um positivo e um negativo, para fluir através do Zodíaco é que divisamos o homem arquetípico.

 

 

Devemos entender também, que os signos são forças que se complementam harmonicamente. Considerando, isoladamente, cada signo, ele será uma unidade ativa ou positiva; em conjunto porém, um tem que ser necessariamente oposto ao outro, para que, a exemplo, quando um cria o outro possa realizar. Enquanto um emite, o outro absorve.

 

            Assim, os signos se dividem em dois grupos:

 

            MASCULINOS OU POSITIVOS - Áries, Gemini, Leo, Libra, Sagitário e Aquário.

 

            FEMININO OU NEGATIVO - Tauro, Câncer, Virgo, Scorpio, Capricórnio e Pisces.

 

            Para assimilarmos esta classificação com certa facilidade, basta considerarmos os signos das Casas Ímpares (1, 3, 5, 7, 9 e 11), como POSITIVOS. E, consequentemente, os signos das Casas Pares - (2, 4, 6, 8, 10 e 12) como NEGATIVOS.

 

4.1.4 OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

 

            Existem, ainda, várias outras classificações para os signos, (conforme estudaremos no futuro) que determinam certos aspectos ou condições de importância para a compreensão e interpretação e interpretação de Temas.

 

            Nesta oportunidade faremos uma breve citação sobre certas classificações, tais como:

 

                        A-) SIGNOS MENTAIS                                      ?         Elemento Fogo

      SIGNOS MATERIAIS                                  ?         Elemento Terra

      SIGNOS INTUITIVOS                                 ?         Elemento Ar.

      SIGNOS EMOTIVOS                                   ?         Elemento Água.

 

B-) SIGNOS CONSCIENTES                            ?         Elemento Fogo +

                 ?         Elemento Terra

     

      SIGNOS INCONSCIENTES                        ?         Elemento Ar +

                 ?         Elemento Água

 

                        C-) SIGNOS BENÉFICOS                                                   ?         ?

                              OU FAVORÁVEIS

 

                              SIGNOS MALÉFICOS                                                   ?         ?

                              OU DESFAVORÁVEIS

 

                        D-) SIGNOS FÉRTEIS                                        ?

                              SIGNOS ESTÉREIS                                     

                              SIGNOS NEUTROS                                              ?         ?         ?

 

                       

4.2 ANATOMIA

 

            Cada signo do Zodíaco tem um relacionamento específico com determinada área do corpo humano, exercendo sobre ela sua influência particular.

 

            Este domínio está assim distribuído:

 

                        ÁRIES                        ()       A Cabeça; a face.

TAURO                      ()       O pescoço;  a garganta; a faringe; as amígdalas.

                        GÊMINI                     ()       Os ombros; os braços; as mãos.

                        CÂNCER                   ()       O peito; o estômago; o fígado.

                        LÉO                            ()       O coração; o dorso.

                        VIRGO                       ()       O ventre; os intestinos.

                        LIBRA                        ()       A região lombar; os rins.

                        SCÓRPIO                  ()       As partes genitais; o ânus.

                        SAGITÁRIO               (?)       As coxas; as nádegas.

                        CAPRICÓRNIO        (?)       Os joelhos; a pele.

                        AQUÁRIO                 (?)       As pernas; os tornozelos.

                        PISCES                      (?)       Os pés.

 

   

 

5.   PLANETAS

 

            São os corpos celestes que giram em torno do Sol, acompanhando-o através do Zodíaco sobre os vários signos.

 

            Chamados “Mensageiros de Deus”, os planetas são centros de emissão de Força Astral que por seus movimentos particulares, através das Casas ou Setores do Zodíaco, nos favorecem com suas vibrações, proporcionando as oportunidades para o nosso desenvolvimento individual.

 

            Às configurações formadas por um planeta em relação a outro, ou em relação às casas, chamamos Aspectos. Estes aspectos propiciam certas condições particulares que serão oportunamente estudadas.

 

            Não é propósito desta apostila explicar os Mistérios da Astrologia, nem propor um tratado que explique os influxos dos astros sobre a natureza e sobre o homem, mas, convém que seja desenvolvido um pequeno conceito que nos será útil futuramente. Para tanto, analisemos pela ordem, a partir do que consideramos o centro do nosso Sistema, os sete primeiros planetas, de acordo com as explicações do Mestre Papus:

 

                        ¢ - SOL - Sua influência é considerável, é o pai, o gerador universal em nosso mundo.

 

£ - MERCÚRIO - O mais próximo do Sol, representa a infância com seu trasbordamento de vitalidade e ação.

 

¤        - VÊNUS - Conhecida como a “Estrela da Manhã”, representa a juventude feminina com todas as suas faceirices, suas seduções e seus perigos - é a deusa do amor em todas suas modalidades.

 

¡ - LUA - De grande importância para o homem, é na verdade a matriz astral de todas as produções terrestres de que o Sol é o pai vivo. Tudo o que chega à Terra passa pela Lua e tudo o que parte da Terra, pela Lua, do mesmo modo, passa.

 

¥ - MARTE - O mais próximo da Terra. É a própria imagem do homem de guerra. Possui a coragem, a energia, a cólera e a violência.

 

¦ - JÚPITER - Calmo e metódico, é a imagem do homem de razão e de vontade, no qual as violências e arrebatamentos da juventude estão domados, sendo verdadeiramente senhor de si mesmo.

 

§ - SATURNO - Indica o homem triste, porém de grande experiência. Sua energia conduz a um comportamento restritivo-pessimista e acompanha a introversão e o isolamento.

 

 

 

Deste modo, encerra-se o Septenário Astrológico, determinado por muitos autores como uma fase ou ciclo. Como se vê, Sol, Mercúrio, Marte, Júpiter e Saturno representam os diferentes estágios da vida humana, desde a infância até a velhice, além de indicar o caráter moral e intelectual em cada um destes períodos que o ente humano atravessa.

 

Quanto à Lua e Vênus, especificamente, estes se relacionam com o feminino, representando suas duas grandes modalidades; a maternidade e o amor.

 

Do oitavo planeta em diante, os chamados trans-saturninos, inicia-se uma nova série que representa um outro ciclo mais elevado de influências astrais.

 

Assim, temos uma trilogia intimamente ligada às forças que constantemente impelem à mudança psicológica; à transformação que leva ao desenvolvimento:

 

¨ - URANO - Representa a energia explosiva do redemoinho caótico. É a força que se manifesta em mudanças súbitas, nos planos do ser. É o intelecto ligado aos planos superiores da iniciação.

 

© - NETUNO - Representa a sublimação e o preparo ao retorno da espiritualidade incorporal, pois sua força age através do mais puro amor, levado ao idealismo que transcende em beleza.

 

ª - PLUTÃO - Representa o grande princípio masculino. Muitos astrólogos são concordes em afirmar que Plutão simboliza dimensão tão complexa que está envolto em uma aura misteriosa. Está relacionado aos mais profundos ideais espirituais. Representa, também, o impulso vital em busca da forma.

 

Marca os passos evolutivos da humanidade.

 

5.1 CARACTERÍSTICAS E INFLUÊNCIAS

 

                        5.1.1 - SOL ¢

 

I.) CONCEITO MITOLÓGICO

 

            O Sol é conhecido na Mitologia Grega como o Apolo e sua fábula é uma mistura de tradição e alusões retiradas da sabedoria astrológica dos antigos povos.

 

            Simbolizando o homem na sua forma mais elevada, os caldeus e fenícios adoravam-no sob o nome de Belo; os egípcios o confundiam com Osiris e Horus; os mohabitas o chamavam Belfegor; os amonitas o denominavam Molach e os persas o adoravam como Mitra.

 

            Para os gregos Apolo era o filho herdeiro do poder do senhor do Olimpo e foi associado ao planeta por sua força, luz e pureza. Governava as estações do ano, a agricultura, e era o guardião dos rebanhos e das manadas.

 

II.) SIGNIFICADO E INFLUÊNCIAS

 

O planeta, de polaridade masculino-positiva, elétrico, quente e seco, pertence ao elemento fogo, luminoso, magnético. Governa tudo o que se relaciona com honras, glórias, respeito, dignidade, poder, soberania e riqueza. Determina idealismo e lealdade, por sua força vital e por sua energia criativa. Pela manifestação dinâmica, é o próprio ego ativo, a síntese da personalidade.

 

            Seu domicílio é o signo de Léo; encontra-se exilado em Aquário, exalta-se em Áries e tem queda em Libra. Representa o pai, o esposo, o noivo ou amante, o poder e a celebridade.

 

III.) ANATOMIA

 

            Rege principalmente o coração. Também influencia as costas e a coluna vertebral. Governa o fluído vital, que é distribuído através do baço. Age sobre a circulação do sangue, a oxigenação e os olhos.

 

5.1.2 - LUA - ¡

 

I.) CONCEITO MITOLÓGICO

 

A Lua é conhecida na Mitologia Grega como Ártemis, filha de Zeus e irmã de Apolo. Teve de Zeus o poder de guardar uma virgindade perpétua. Foi de seu pai, também que recebeu arco e flechas douradas para reinar sobre os bosques.

 

Os mitos associados com a Lua são raros. Porém em geral ela é considerada feminina, associada à virgindade e à pureza. Também vinculada à gravidez, eram-lhe dedicados sacrifícios sanguinolentos. Estava sempre ligada às manifestações do inconsciente individual ou coletivo.

 

II.) SIGNIFICADO E INFLUÊNCIAS

 

            Um planeta de polaridade feminino-negativa, magnético, prático, emocional e fecundo; pertence ao elemento água. Governa a memória, dinamiza os sentidos interiores e estimula os estados mentais passivos, desenvolvendo a imaginação dando tendência ao sonho e à fantasia.

 

            Ao contrário do Sol, este planeta expressa a força receptiva e dispersiva da personalidade. É a base sensível do ego. Representa toda condição emotiva com as manifestações exteriores.

 

                        Seu domicílio é o Signo de Câncer, portanto encontra-se exilado em Capricórnio. Tem exaltação em touro e queda em Scorpio. É o elemento principal da geração, passividade, imaginação, inconstância, amor materno, altruísmo, intuição e misticismo.

 

                        Representa a mãe, a esposa, a noiva, a amante, a irmã e a mulher em geral.

 

III.) ANATOMIA

 

            Governa o ciclo menstrual e a concepção. Rege os vasos linfáticos, o sistema nervoso-simpático, o sistema alimentar ou nutritivo, o esôfago, estômago, fígado, vesícula biliar, pâncreas e intestinos.

 

5.1.3 - MERCÚRIO - £

 

I.) CONCEITO MITOLÓGICO

 

            Mercúrio, também conhecido como Hermes, era outro filho de Zeus. Um deus ligado às coisas terrenas, era patrono dos negociantes. O mais ocupado deus do Olimpo, era também, o mais eloqüente deste sagrado monte. Mensageiro e confidente, governava a política, dirigida as assembléias e os jogos. Possuindo asas nos pés, tinha extrema mobilidade.

 

            Diz a lenda que foi Mercúrio quem inventou a Lira, a qual fez presente a Apolo. Em troca da Lira, Apolo deu a Mercúrio uma vara chamada Caduceu. Conta-se que certa vez Mercúrio encontrou duas cobras em luta; pondo o caduceu entre elas separou-as e conseguiu fazer com que se reconciliassem. Depois disto, Hermes portou esta vara como embaixador da Paz, e era com ela que conduzia ao inferno as almas dos mortos.

 

II.) SIGNIFICADO E INFLUÊNCIAS

 

            Mercúrio é um planeta de polaridade neutra, energicamente mutável ou conversível, o que significa que absorve polaridade e características dos planetas que lhe enviam aspectos e, é influenciado pelo signo que ocupa. Bipolar, nervoso e estéril, pertence ao elemento terra. Ativa a palavra, a expressão, a comunicação e os intercâmbios. Corresponde aos contatos primários com o mundo externo; o impulso para adquirir conhecimento e comunicá-lo. É o principal indicador de inteligência e raciocínio.

 

            Representa os irmãos, os consortes, os obreiros, os criados, as crianças, o comércio, a indústria, a literatura e as ciências.

 

Seu domicílio são os signos Gemini e Virgo, portanto estará exilado em Sagitário e Pisces, tendo sua exaltação em virgo (aquário, segundo alguns astrólogos) e a sua queda em leo.

 

III.) ANATOMIA

 

            Governa a região direita do cérebro, os nervos, a circulação pulmonar, o sistema cérebro-espinhal, a distribuição do fluído vital e nervoso, as cordas vocais, os cinco sentidos físicos e a respiração.

 

5.1.4 - VÊNUS - ¤

 

I.) CONCEITO MITOLÓGICO

 

            Filha de Zeus, diz a lenda que foi originada das espumas do mar sobre uma concha gigantesca. Vênus a deusa da beleza sem igual, ficou associada à Deusa do Amor, influenciando a fertilidade, a sexualidade e a vida familiar.

 

            Em virtude de Zeus, tê-la dado como esposa a Vulcano, um ferreiro coxo, feito e disforme, dizem que Vênus o ganhou em uma festa, quando a discórdia lançou sobre a mesa uma maçã dizendo que a fruta deveria ser entregue à mais bela deusa ali presente. Disputaram o concurso Hera, Atenas e Vênus. O juiz foi Páris, que sem hesitar, entregou a maçã a Vênus.

 

II.) SIGNIFICADO E INFLUÊNCIAS

 

            De polaridade feminino-negativa, Vênus é magnético, sensível, fecundo, pertencente ao elemento ar, suas vibrações atingem a sensibilidade. Refina as sensações e emoções, estando associado à beleza, à paz e à harmonia. Afeta as atividades artísticas e todas as manifestações de criatividade.

 

            Simbolizando a atração recíproca dos seres e das aproximações sexuais, Vênus representa a esposa, a amante, a jovem, a mãe, a amiga, as artes e o prazer.

 

            Em Libra e Tauro encontra seu domicílio, e seu exílio está em Áries e Scorpio. A exaltação está em Pisces e a queda em virgo.

 

III.) ANATOMIA

 

             Vênus governa especialmente sobre os rins e as paratireóides. Domina sobre o tato, a virilha e os órgãos genitais femininos.

 

5.1.5 - MARTE ¥

 

I.) CONCEITO MITOLÓGICO

 

             Irmão de Vênus, Marte foi educado por Príapo que lhe ensinou a dança e os exercícios corporais. Crescendo forte e valente, desde cedo especializou-se nas artes guerreiras.

 

            Diz a lenda, que muitos  foram os amores de Marte; o mais conhecido foi o que manteve com sua irmã Vênus, que era esposa do Deus das Forjas, Vulcano. Por isto foi preso numa rede invisível, juntamente com Vênus, para que outros deuses vissem o ultraje.

 

II.) SIGNIFICADO E INFLUÊNCIAS

 

            Este planeta vermelho, de polaridade masculino-positiva, é elétrico, enérgico, expansivo e estéril. Seu elemento é o fogo. Pode-se dizer que é a fonte de energia da dinâmica corporal; dá o impulso de lutar, dominar, construir ou destruir e seu domínio é o vigor físico, mental e os impulsos instintivos.

 

            Sua influência confere a vontade de expandir-se, conquistar e possuir. É a vibração que dele emana o que determina a combatividade, agressividade, coragem e confiança. Proporcionando grande força muscular, exalta o desejo sexual e os instintos materiais.

 

            Ao contrário de Vênus, Marte governa a paixão, mas não o amor; é sexual, mas não fecundo. Inclina para a verdade, a liberdade e a realidade e repele toda forma de sujeição, fantasia ou romantismo.

 

            Embora Marte proporcione a vitalidade e a saúde, é sobre sua influência que se tem a destruição do corpo físico; sendo responsável pela morte violenta, provocada por mãos humanas, desde o assassinato até a guerra.

                       

            Seu domicílio é Áries e Scorpio; seu exílio está nos signos opostos, Libra e Tauro. Em Capricórnio, Marte encontra-se exaltado e, em Câncer têm sua queda.

 

            É o próprio símbolo da energia e vitalidade. Simboliza o amante, o rival, o consorte, o inimigo franco, as pessoas e coisas violentas, turbulentas, brutais e perigosas.

 

III.) ANATOMIA

 

            Marte atua sobre o sistema muscular e sobre as glândulas sexuais. Governa a matéria corante do sangue, a coluna vertebral e os nervos motores.

 

5.1.6 JÚPITER ¦

 

I.) CONCEITO MITOLÓGICO

 

            Júpiter, chamado pelos gregos Zeus, era filho de Saturno - o senhor do tempo - e de Réia. Antes desta divindade, todas as lendas narram personagens que são caracterizados por uma linha caótica. Assim, antes de Júpiter reinava a confusão e só a partir de seu evento é que tem início a hierarquia do “Céu Grego”. Conhecido como o “deus dos deuses”, foi a partir dele que o mundo teve uma ordem.

 

            Diz a lenda que Júpiter escapou à sorte de seus irmãos, que eram devorados pelo pai ao nascer. Uma profecia dizia que Saturno seria destronado por um de seus filhos; assim o “deus do tempo”, Cronos, procurando assegurar-se de que isto não ocorresse, comia-os a todos, logo após o seu nascimento. Porém, ao dar à luz a Júpiter, sua mãe imaginou um meio de fazer com que seu filho escapasse e entregou a Saturno algumas pedras embrulhadas num pano. E, conforme a profecia, o menino cresceu e ao atingir a maioridade, destronou Saturno. Estabeleceu-se Júpiter no Olimpo, cercado por outros onze deuses.

 

            A partir de Júpiter, o mundo teve uma ordem e foi dividido em três, cabendo a ele e seus dois irmãos Netuno e Plutão - que também vieram a sobreviver - governarem o mundo. Sua autoridade suprema sempre se fez valer; entre as divindades, Júpiter sempre ocupou o primeiro lugar.

 

            Representado sob a aparência de um homem maduro, de grandes barbas e grande cabeleira, sentado num trono tendo ao lado a águia e na mão um feixe de raios, na Líbia foi conhecido por Júpiter-Amon; no Egito por Júpiter-Serapis; na Assíria por Júpiter-Bel e em Creta por Júpiter-Astério.

 

II.) SIGNIFICADO E INFLUÊNCIAS

 

             Um planeta de princípio quente e seco, sua polaridade é masculino-positiva; elétrico, vitalizante e fecundo. Domina sobre a ordem, a cultura, a lei e a hierarquia; seu elemento é o fogo.

 

            Os códigos e as leis que visam estruturar a sociedade humana são criados sob sua influência; e é sob sua influência, também, que a fé se reveste com os paramentos da liturgia e se encastela atrás da rigidez dos dogmas, transformando-se em religião.

 

            Júpiter é o conhecimento mais avançado, representa a autoridade maior. Embora não dê excepcional poder criador, dá grande habilidade para realizar, administrar e aperfeiçoar o que os outros criam. É indicador de boas qualidades mentais e morais, saúde, ambição nobre e generosidade. É a figura arquétipica do pai; representa o dono, o chefe, o diretor, o protetor, o amigo generoso, o poder, a honra, a fortuna e a riqueza.

 

            Tem seu domicílio em Sagitário e Pisces; está exilado em Gemini e Virgo. Encontra sua exaltação em câncer e sua queda se dá em capricórnio.

 

III.) ANATOMIA

 

            Sempre ligado à maior glândula do corpo, Júpiter domina sobre o fígado, sobre as glândulas supra-renais e a pituitária. Rege ainda, no corpo, a circulação arterial e a gordura.

 

                        5.1.7 SATURNO §

 

I.) CONCEITO MITOLÓGICO

 

            É o mais antigo dos deuses da teologia helênica, Saturno, ou Cronos - o senhor do tempo. A condição para Saturno governar o mundo era jamais ter filhos homens, por esta razão, logo que sua mulher dava à luz um filho varão, ele o devorava. Usando o estratagema que já vimos, Réia, sua esposa, conseguiu subtrair ao marido o menino Júpiter que veio a ser o deus dos deuses.

 

            Após destronado, foi mandado para a Terra e foi louvado pelos homens, sendo erigidos vários templos para a sua adoração. Por isto, nas asas do Tempo, a Terra percorre os caminhos sem fim do espaço sideral. Sua imagem é a de um velho com asas, tendo à mão uma foice ou uma ampulheta. Na Babilônia, conhecido por Assur, era simbolizado por um velho, tendo ao seu redor um círculo que representava o tempo, sem começo ou sem fim. Os egípcios o chamavam de “O Gerador Superior”, Horus.

 

II.) SIGNIFICADO E INFLUÊNCIAS

 

            De polaridade masculino-positiva, é elétrico, coesivo e estéril. Frio e seco, seu elemento é a terra. Sua força represa, restringe e limita, determinando melancolia, solidão, ausência de movimentos, sons e cores; repele tudo o que é pueril, ruidoso, policromo e alegre.

 

            É este planeta, também chamado “grande maléfico”, que determina prudência, calma, reflexão, modéstia, castidade, laboriosidade, construtividade, paciência, constância e ambição. Embora não dê ao intelecto o brilho de Júpiter, ou a versatilidade de Mercúrio, torna a inteligência profunda, fria e extremamente poderosa.

 

            Saturno indica a circunspecção, a concentração, a reflexão, a perseverança, a melancolia, a solidão, o celibato, a castidade e a sobriedade. Representa os avôs, os sogros, os inimigos ocultos, as pessoas austeras, solitárias, velhas; as ruínas, os hospitais e os cemitérios.

 

            Tem seu domicílio em Capricórnio e Aquário, seu exílio em Câncer e Léo. É exaltado em Libra e tem queda em Áries.

 

III.) ANATOMIA

 

            Governa o esqueleto, os dentes, os ligamentos, as articulações, o nervo vago e a vesícula biliar; o baço, a pele e o lobo anterior da pituitária que regula as glândulas sexuais e a estrutura óssea e muscular.

 

5.1.8 URANO ¨

 

I.) CONCEITO MITOLÓGICO

 

            Urano é uma divindade que pertence à primitiva teogonia dos pré-helenos e pouco se conhece a seu respeito. Diz a lenda que Urano - Ouranos ou ainda Céu, - era filho do Éter e da Terra. Tornou-se incestuosamente, pai de toda a humanidade. Seus filhos, os Titãs, eram - quarenta e cinco ao todo. Por ele ter sacrificado os Ciclopes - outros de seus filhos - Saturno foi incitado pela Terra a castrá-lo por vingança. Assim, mutilado pelo seu próprio filho, Urano morreu de desgosto.

 

II.) SIGNIFICADO E INFLUÊNCIAS

 

            De polaridade neutra, Urano é imprevisível, violento e estéril; eletromagnético, assexuado e variável. Pertencendo ao elemento terra, é fermentado pelos princípios frio e seco.

 

            Confere o máximo de poder mental, dá ilimitado poder criador e sua influência á avançada, revolucionária e transformadora. Determina genialidade, originalidade, intuição e aspiração.

 

            Sua influência leva ao inconvencional, ao original. Repele todas as limitações, regras, códigos e formalidades, embora conduza à fraternidade e ao cooperativismo, foge de qualquer associação que possa impedir a liberdade de ação ou pensamento.

 

 

            Urano confere inclinação para os estudos e pesquisas, filosóficas ou metafísicas e para as mais modernas atividades técnicas e científicas. Este planeta, que dá início à primeira série de uma órbita ou ciclo mais elevado de influência astral, tem a mesma natureza de Mercúrio, porém numa oitava mais elevada; simbolizando o intelecto já conectado com os planos da intuição superior e da iluminação interna.

 

            É sob sua regência que encontramos os chamados “gênios incompreendidos”.

 

            Está domiciliado em Aquário e Capricórnio. Exila-se em Léo e Câncer; estará exaltado em Scorpio e terá sua queda em touro.

 

            Urano, regulando o poder mental e a criatividade, é a força de decisão.

 

III.) ANATOMIA

 

            Governa o sistema circulatório, as mãos, os gases e éteres; a glândula pineal. Está relacionado com o terceiro olho. Influi de maneira especial sobre os olhos.

 

5.1.9 NETUNO ©

 

I.) CONCEITO MITOLÓGICO

 

             Conhecido também como Possêidon, Netuno, filho de Saturno e Réia, era irmão de Júpiter. Quando o universo foi dividido em três partes, coube a Netuno governar sobre o império das águas, como prêmio conferido por Júpiter a quem ajudou a destronar o pai.

 

            Com seu tridente, erguia o mar em fúria, mas também era o deus dos navegadores e protetor dos povos marítimos. Diz também a lenda, que diante de Netuno, as ondas se amansavam com respeito, quando o seu carro - uma concha puxada por cavalos marinhos - deslizava sobre as águas - acompanhado de um imenso cortejo de tritões e nereidas.

 

            Há muitas lendas onde o papel de Netuno é significativo.

 

II.) SIGNIFICADO E INFLUÊNCIAS

 

            Um planeta gigante, de polaridade neutra, é excitável e estéril, porém magnético, bissexuado e sensível. Seu elemento é o ar. Suas qualidades básicas são a aspiração e o amor, nas suas mais elevadas manifestações. As suas vibrações ativam os contatos espirituais, a imaginação e as faculdades psíquicas, pois governa a faculdade de sonhar e os sentidos extrafísicos, proporcionando o dom da telepatia, da psicometría, da clarividência e da clariaudiência.

 

            É sob sua influência que se inclinam os indivíduos para as investigações místicas ou herméticas. Netuno dá entusiasmo, alegria, afetividade, simpatia e espiritualidade; imaginação, sensibilidade, amor universalista e sentido de beleza, de harmonia, de forma, de som, cor e ritmo.

 

            Levando a um contato mais íntimo com a natureza, impele à busca do distante e da aventura.

 

            Seu domicílio é Pisces e Sagitário. Está exilado em Virgo e Gemini; sua exaltação se dá em câncer e sua queda em capricórnio.

 

            É Netuno quem dá a faculdade para sentir e definir as pessoas e os ambientes e de captar as vibrações benéficas e maléficas.

 

III.) ANATOMIA

 

            Governa a glândula pineal, a fibra nervosa e o canal da espinha - sistema nervoso em geral. Domina sobre o tálamo, as drogas, além dos anticorpos, líquidos ambióticos e a vida fetal.

                       

5.1.10 PLUTÃO ª

 

I.) CONCEITO MITOLÓGICO

 

            Os gregos o chamavam Hades, “o deus dos infernos”. Outro filho de Saturno, irmão de Júpiter e Netuno, coube-lhe reinar nas profundezas da Terra e ao seu lado estavam sempre os mais preciosos minérios.

 

            Plutão foi de tal modo temido entre os povos primitivos que criminosos antes de morrer lhe eram consagrados, e depois, imolados em seu favor.

 

            Interessante notar que, juntamente com Apolo, Plutão compartilhava as honras de um mesmo templo. Plutão era considerado como a antítese do deus Sol.

 

            Diz a lenda que na cidade de Mênfis, no Egito, havia um lago chamado Aquerúsia, no qual se jogavam os mortos depois de embalsamados.

 

            Além do lago havia belos bosques que formavam uma floresta compacta; no meio da floresta havia um templo, e ao lado do templo duas lagoas. Depois dessa viagem ter sido completada é que o morto chegava ao inferno, onde reinava Plutão. Era crença que ninguém podia morrer sem que Prosérpina, a esposa de Plutão que foi raptada do Olimpo, (pois ninguém desejava casar com Plutão devido à tristeza que reinava no Inferno) tivesse cortado o fio da vida; um fio mais fino do que um cabelo, e invisível.

 

II.) SIGNIFICADO E INFLUÊNCIAS

 

            Considerado de polaridade masculina e positiva, pouco se conhece das influências e significados de sua atuação sobre o homem e a natureza. O principal conceito talvez seja que, no nível espiritual, Plutão representa a vontade criadora, a vivificação, a transformação. Em nível material representa a decomposição, a violência e a morte.

 

            Plutão marca os passos da evolução da humanidade. Regula fases vitais, erupção do mundo subterrâneo, cataclismos e convulsões na natureza. No ser humano, seus efeitos tendem a ser sociais e pode representar o impulso vital em busca da forma.

 

            Dominando sobre as mutações, induz a mudanças interiores, intensificando forças profundas, tanto na natureza como no homem.

 

            Muitos astrólogos dão sua regência ao Signo de Scorpio e Áries, tendo portanto seu domicílio nestes dois signos, e consequentemente, tendo seu exílio em Tauro e Libra. Encontra-se exaltado em aquário e tem sua queda em leo.

 

III.) ANATOMIA

 

            Representa os testículos, os processos regenerativos; domina a sexualidade, a reprodução e a formação celular.

 

6.   SÍNTESE GERAL

 

 

 

7.   RESUMO DE TERMOS ASTROLÓGICOS

 

            ANGULAR     -          Planetas colocados nas Casas I, IV, VII e X.

 

            ÂNGULOS     -          As Casas I, IV, VII, e X do horóscopo. Nestas casas os planetas tem influência redobrada.

 

            ASCENDENTE          Marca a intersecção da eclíptica com o horizonte no momento do nascimento; a primeira das doze partes em que se divide o Céu Astrológico - corresponde à Casa I e revela a espiritualidade.

 

            ASPÉCTOS    -          Certas distâncias estabelecidas entre planetas e cúspides de casas, estrelas fixas, etc., onde, devido a certa condição, as vibrações entram em combinação e produzem manifestações harmônicas e desarmônicas.

 

            BENÉFICOS  -          Compreende Júpiter e Vênus, que são considerados como planetas afortunados; freqüentemente Mercúrio e Sol também são assim considerados.

 

            CABEÇA DO DRAÇÃO - Nó ascendente da Lua.

 

            CARDEAIS    -          Diz-se dos signos dispostos nos ângulos do Zodíaco Padrão: Áries, Câncer, Libra e Capricórnio.

 

            CASAS           -          São divisões do Tema Natal, em doze partes, como os signos são divisões do céu.

 

            CAUDA DO DRAGÃO - Nó descendente da Lua.

 

            CÚSPIDE       -          Grau inicial de uma casa.

 

            DEBILIDADE -          Posição de um planeta em signo de depressão ou exílio; contrário de dignidade.

 

            DECANATOS            Divisão de um signo em três partes de 10º

 

            DESCENDENTE        Corresponde à Casa VII; é a extremidade oriental do horizonte.

 

            DIGNIDADES            Essenciais e acidentais. As essenciais são quando o planeta se encontra em signo de domicílio, exaltação, triplicidade, decanato ou termo. As acidentais quando se encontra em casa angular no horóscopo ou em bom aspecto com os demais planetas.

 

            DOMICÍLIO   -          Signo onde um planeta é o regente; onde sua influência é maior. Neste caso dizemos que um planeta se encontra essencialmente dignificado.

 

            DOMINANTE            É o planeta que está mais dignificado no Tema e que melhor aspecto recebe; sua influência pode ser mais poderosa do que a do regente do ascendente.

 

            ECLÍPTICA    -          O passo do Sol entre as constelações do firmamento.

 

            ESTRELAS FIXAS    São os agrupamentos de estrelas que formam as constelações zodiacais. Três se destacam com maior influência: Plêiades, em 29º de Tauro; Ascelli, a 6º de Léo e Antares, a 8º de Sagitário.

 

            EXALTAÇÃO            Poderosa dignidade, onde o planeta se reveste de especial força.

 

            MALÉFICO    -          Compreende Marte, Saturno, Urano e às vezes Netuno e Mercúrio, como planetas desafortunados.

 

            MEIO DO CÉU          Ou Zênite; é o ponto do firmamento que cai perpendicular sobre a cabeça do horóscopo. Corresponde à cúspide da Casa X.

 

            NADIR           -          Corresponde à cúspide da Casa IV, sendo oposto do Zênite, que se situa no meio do céu.

 

            NÓS LUNARES        Conhecidos como Cabeça de Dragão, Cauda de Dragão e Roda da Fortuna, são os pontos onde a órbita da Lua se cruza com a órbita da Terra ou do Sol, na eclíptica.

 

            ÓRBITA         -          Raio de influência dos planetas (não confundir com o movimento dos planetas ao redor do Sol).

 

            PEREGRINO  -          O planeta que se encontra em um signo onde não possui nenhuma dignidade ou debilidade.

 

            PLANETAS    -          Corpos celestes que circundam e giram ao redor do Sol (inclusive este). Embaixadores de Deus.

 

            RODA DA FORTUNA -        Ou Roda Vital, é o ponto do horóscopo para onde convergem os raios do Sol e da Lua, o qual seria ocupado pela Lua se o Sol se achasse exatamente no Oriente.

 

            REGENTE      -          No horóscopo é o planeta que tem maior domínio e máxima influência sobre a vida do nativo. No signo é o planeta que se encontra na casa correspondente ao seu domicílio.

 

            RETRÓGRADO         Planeta que apresenta mover-se no sentido inverso ao dos ponteiros do relógio.

 

            TRIPLICIADE            Dignidade também chamada Trigonocracia. Há quatro triplicidades, que correspondem aos elementos: Fogo, Ar, Terra e Água.

 

            ZODÍACO      -          Zona Celeste que envolve a Terra e é composta das doze constelações, signos ou casas celestes, onde os planetas circulam continuamente.        

                         

 

 

 

Fim da Primeira Apostila de Astrologia

 

PAGINA INICIAL